Contato

SOF

Como deve ser o seguimento dos pacientes hipertensos pela Equipe de Saúde da Família?

| 06 jan 2016 | ID: sof-22014
Esta SOF foi útil pra você?
Reload

Enter the code

Para o seguimento clínico, na APS, dos pacientes com hipertensão arterial (HA), o Ministério da Saúde1, recomenda que portadores de HA que não estiverem com a PA controlada, mas que estejam aderindo aos tratamentos recomendados, deverão realizar consulta médica para reavaliação, mensalmente até atingirem a meta pressórica.

Uma vez controlados os níveis pressóricos, deve-se acompanhar o paciente conforme suas necessidades individuais e o seu risco cardiovascular. Sugere-se que as consultas sejam mensais, até atingir o nível pressórico desejado.

Visitas mais frequentes podem ser necessárias para pacientes em estágio II ou com comorbidade associada. Entretanto, como este material não deixa claro quais exames complementares e a periodicidade, complementou-se a informação utilizando-se o Guia de Referência Rápida para Manejo Clínico da HA, para adultos2.

Segundo este Guia, para o seguimento clínico dos pacientes com HA recomenda-se utilizar o algoritmo de linha de cuidado para o acompanhamento da HA na APS, que apresenta os diferentes estágios e medidas de controle da doença. Assim cada paciente terá um seguimento individualizado conforme estes critérios.

Alguns necessitarão de exames e consulta uma vez ao ano, enquanto outros deverão ter acompanhamento mais frequente (algoritmo abaixo) 2.

4_SOF_HAS_07_04

4_SOF_HAS_07_04_2

FONTE: Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil. Superintendência de Atenção Primária2

A rotina laboratorial recomendada no momento do diagnóstico e posteriormente para paciente portadores de HA é: glicemia de jejum, colesterol total, triglicerídeos, HDL colesterol , LDL colesterol(deve ser calculado pela fórmula*), creatinina, potássio e parcial de urina(pesquisar proteinúria e hematúria). Além disto, também recomendado ECG de repouso. Posteriormente a critério clínico, estes exames serão repetidos anualmente, ou de acordo com a evolução do paciente2.

*LDL colesterol pode ser calculado pela seguinte fórmula desde que os valores de triglicerídeos sejam menor que 400mg/dl: LDL colesterol= colesterol total- HDL colesterol- Triglicerideos/5.

QUADRO 1: As metas de controle para Hipertensão Arterial são as seguintes2:

Metas para controle pressórico
  • Pressão arterial no consultório:

Pessoas com menos de 80 anos: inferior a 140/90mmHg

Pessoas com mais de 80 anos: inferior a 150/80mmHg

  • Média da pressão arterial no monitoramento residencial da pressão arterial (MRPA)

Pessoas com menos de 80 anos: inferior a 135/85mmHg

Pessoas com mais de 80 anos: inferior a 145/85mmHg

  • Para pacientes com diabetes e nefropatas com proteinúria, a meta de controle deve ser inferior a 130/80mmHg

FONTE: Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil. Superintendência de Atenção Primária3

Contudo ressaltamos que se paciente não estiver com controle adequado da hipertensão a periodicidade de consultas deve ser revista.

Sabemos que o atributo da Atenção Primária(APS) do acesso é grande aliado na qualidade da atenção aos portadores de doenças crônicas. Quando ampliamos o acesso possibilitamos que pacientes com dificuldade em adaptação ao tratamento ou má adesão ao tratamento além de outras situações busquem o serviço e tenham o atendimento/reposta a sua necessidade. Assim uma “porta de entrada” acessível ao serviço qualifica a atenção à doenças crônicas.

 

 

 

Bibliografia Selecionada

  1. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: hipertensão arterial sistêmica / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2013.
  2. Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil. Superintendência de Atenção Primária. Guia de Referência Rápida: Hipertensão- Manejo Clínico da Hipertensão em adultos (versão profissional) adaptado de NICE (National Institute for Health an Clinical Excellence, NHS- Reino Unido) / Rio de Janeiro: SMSDC, 2013. http://www.rio.rj.gov.br/dlstatic/10112/4446958/4111924/GuiaHA.pdf