Contato

SOF

Em que situações o paciente deve ser encaminhado para o CEO ou outro serviço de média complexidade em saúde bucal para tratamento odontológico periodontal?

| 11 abr 2017 | ID: sof-36445
Esta SOF foi útil pra você?
Reload

Enter the code

Os principais motivos para realização do tratamento periodontal no Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) ou outro serviço de média complexidade em saúde bucal são a periodontite em grau avançado, cirurgia periodontal para dentística restauradora, aumento de volume gengival e lesões de furca¹. Os principais procedimentos periodontais especializados, realizados em serviços de atenção secundária são: raspagem e alisamento radicular subgengival (RAPSUB) de maior complexidade; cirurgia de acesso; cirurgia de acesso com plastia de furca; gengivectomia; aumento de coroa clínica; ressecção radicular e tunelização¹.

Deve-se considerar, entretanto, que o tratamento periodontal básico sempre deve ser iniciado na  Atenção Básica em Saúde/Atenção Primária em Saúde (ABS/APS), conforme disponibilidade técnica e de equipamento. A equipe de saúde bucal tem responsabilidade de intervir sobre os fatores modificadores da doença periodontal, orientações de higiene bucal e autocuidado, raspagem e alisamento supragengival e subgengival, remoção de fatores de retenção de biofilme e procedimentos cirúrgicos de menor complexidade, como gengivectomia e aumento de coroa clínica. Também deverão ser realizados os tratamentos de urgência periodontal, como Gengivite Ulcerativa Necrótico Aguda (GUNA), Gengivoestomatite Herpética Aguda (GEHA) e abscessos¹.

Previamente ao encaminhamento para o serviço especializado os pacientes deverão ter obtido na ABS/APS explicações sobre as causas da doença, bem como ter passado por sessões de motivação, sendo importante que se promova a apropriação destes conhecimentos¹. É importante respeitar a vontade do paciente: encaminhar somente aqueles que tenham interesse no tratamento especializado². Deverá ser realizada a adequação do meio bucal, com remoção dos focos infecciosos, raspagem supra e subgengival, restaurações definitivas e/ou provisórias, remoção de excesso em restaurações, entre outros que se façam necessários.

Após o tratamento no serviço especializado o paciente deve ser contrarreferenciado para a ABS/APS, para controle e manutenção das condições de saúde bucal e periodontal.

Alguns protocolos municipais de Saúde Bucal, como dos municípios de Curitiba², Florianópolis³ e Londrina4, definem como critério de encaminhamento pacientes com doença periodontal avançada (bolsas periodontais acima de 4 mm). Da mesma forma, estes protocolos definem que o tratamento inicial de raspagem supragengival, raspagem subgengival, orientação de higiene e motivação do paciente devem ser realizados previamente na ABS/APS, antes do encaminhamento do paciente.

A implantação de serviços especializados em saúde bucal é de extrema relevância para a formação da rede de atenção à saúde. Entretanto, os profissionais da Atenção Básica devem ter em clareza sobre seu papel na coordenação do cuidado do usuário, assim como dos critérios de encaminhamento para os serviços de média complexidade em saúde bucal (CEO), em uma perspectiva de racionalidade e organização dos serviços públicos de saúde.

Bibliografia Selecionada

1. BRASIL. Manual de Especialidades em Saúde Bucal. Brasília: Ministério da Saúde, 2008. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/manual_especialidades_bucal.pdf. [Acesso em 29/10/2016].

2. CURITIBA. Protocolo integrado de atenção à saúde bucal. Curitiba: Secretaria da Saúde de Curitiba. Centro de Informações em Saúde, 2004. Disponível em: http://www.saude.curitiba.pr.gov.br/images/programas/arquivos/saude_bucal/protocolo_001.pdf. [Acesso em 29/10/2016].

3. FLORIANÓPOLIS. Protocolo de Atenção à Saúde Bucal. Florianópolis: Secretaria Municipal de Saúde, 2006. Disponível em: http://www.pmf.sc.gov.br/arquivos/arquivos/pdf/05_08_2011_9.42.19.eba50c922dc05a3827b80f134b84f477.pdf. [Acesso em 29/10/2016].

4. LONDRINA.  Manual de saúde bucal.  Prefeitura de Londrina. ALVANHAN,D.; GONINI,C.A.J. (Coord.). Londrina, 2009. Disponível em: http://www.londrina.pr.gov.br/dados/images/stories/Storage/sec_saude/protocolo_saude_bucal/protocolo_saude_bucal.pdf. [Acesso em 29/10/2016].