Contato

SOF

Existe protocolo de atendimento odontológico para pacientes portadores de anemia falciforme? Quais os cuidados a serem adotados durante o atendimento?

| 04 jul 2018 | ID: sof-39935
Esta SOF foi útil pra você?
Reload

Enter the code

Existe protocolo para o atendimento a pacientes diagnosticados com anemia falciforme e diante da pesquisa realizada foi encontrado o seguinte protocolo:

1- Anamnese criteriosa;
2- Avaliação médica para confirmação do real estado de saúde do paciente;
3- Realização do tratamento odontológico durante as fases crônicas da doença, reservando às fases agudas apenas procedimentos paliativos;
4- Realização de consultas curtas;
5- Evitar procedimentos longos e complicados (evitar estresse);
6- Manter níveis adequados de oxigenação e temperatura corporal;
7- Administração de benzodiazepínicos como medicação pré-anestésica, a pacientes mais ansiosos;
8- Instituir uma terapia preventiva agressiva: Instruções de higiene oral; Dieta controlada; Escovação e uso de fio dental; Fluorterapia; Visitas periódicas ao dentista;
9- Evitar infecções orais, e tratamento agressivo na ocorrência das mesmas;
10- Uso de anestésico local sem vasoconstritor para procedimentos dentais de rotina, e no caso de procedimentos cirúrgicos uso de anestésico local com vasoconstritor, de preferência, lidocaína a 2% com adrenalina 1:100.000;
11- Evitar realização de cirurgias eletivas (por exemplo, exodontia de sisos inclusos) em casos assintomáticos;
12- A sintomatologia dolorosa deve ser tratada com paracetamol, dipirona ou codeína, já que o ácido acetilsalisílico é contra-indicado;
13- Evitar a prescrição de barbitúricos;
14- Realização de profilaxia antibiótica frente a procedimentos em que haja expectativa de sangramento e consequente bacteremia;
15- Uso da técnica de óxido-nitroso com nível adequado de oxigenação (50% de oxigênio) e adequada ventilação;
16- Realização de sedação endovenosa e anestesia geral com muita precaução e acompanhamento médico (anestesista e hematologista).(1)
Durante o atendimento odontológico a pacientes diagnosticados com anemia falciforme os seguintes cuidados são importantes: os procedimentos odontológicos somente devem ter início após minuciosa anamnese, exame clínico e tratamento planejado. Deve-se considerar o histórico da doença e suas complicações, assim como as condições físicas e emocionais e a tolerância aos procedimentos operatórios, para evitar ou diminuir o estresse. Cumpre enfatizar que o tratamento pode desencadear uma crise falcêmica. É procedimento fundamental que o profissional de odontologia registre os dados específicos das pessoas com doença falciforme sob seus cuidados, a fim de orientar-se no curso do tratamento. Também não deve desconsiderar o contato com outros profissionais de saúde que assistem a pessoa com a doença, haja vista que conhecer o seu quadro clínico é de grande utilidade para o tratamento(2).
Além disso, todos os procedimentos considerados invasivos devem ser realizados durante a fase crônica da doença, reservando para a fase aguda apenas intervenções de urgência, que visem minimizar quadros infecciosos ou dolorosos. A profilaxia antibiótica é de suma importância, uma vez que, os pacientes são particularmente susceptíveis a infecções e estas podem desencadear quadros agudos, colocando em risco a vida do indivíduo. Sendo assim, a saúde bucal dos portadores de anemia falciforme deve ser mantida através de práticas preventivas, para minimizar o risco da instalação de infecções bucais e para que intervenções curativas sejam cada vez menos frequentes.(1)

 

Bibliografia Selecionada

1. Hosni JS, Fonseca MS, Silva LCP, Cruz RA. Protocolo de atendimento para paciente com anemia falciforme. Arq bras odontol 2008;4(2):104-112. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/Arquivobrasileirodontologia/article/view/1270/1332
2. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Hospitalar e de Urgência. Doença falciforme – saúde bucal: prevenção e cuidado. Brasília-DF. 2014:60p. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/doenca_falciforme_saude_bucal_prevencao.pdf