Contato

SOF

O uso de melatonina pode ser indicado para prevenir ou reduzir o jet lag em viajantes?

| 12 jul 2017 | ID: sof-36657
Esta SOF foi útil pra você?
Reload

Enter the code

Jet lag é uma expressão em inglês que não possui uma tradução definida na língua portuguesa, comumente afeta viajantes aéreos que atravessam vários fusos horários. Ela resulta de uma dessincronização entre ritmos internos do corpo e ritmos ambientais no destino. A melatonina é um hormônio pineal que desempenha um papel central na regulação dos ritmos corporais e tem sido usado como uma droga para realinhá-los com o mundo exterior1.

A melatonina administrada ao deitar muda a fase circadiana e tem um efeito hipnótico. A medicação pode ser recomendada para viajantes adultos voando em cinco ou mais fusos horários, especialmente em direção leste, e especialmente se eles tiveram jet lag em viagens anteriores. Viajantes cruzando 2-4 fusos horários também podem usá-la se necessário1. A melatonina parece prevenir ou reduzir o jet lag, mas as evidências são inconsistentes para avaliar a eficácia3.
A dose em estudos clínicos variou de 0,5 mg a 8 mg / dia. Estas doses parecem ser seguras, mas estudos em longo prazo não foram realizados. Deve ser tomada perto de hora de deitar no destino (entre 22:00 e meia-noite) 3.
Uma revisão Cochrane de 10 estudos que compararam a melatonina com placebo em viajantes de longa distância concluiu que 2-5 mg de melatonina tomada na hora de dormir após a chegada é eficaz e pode ser vantajoso manter o uso nos próximos dois a quatro dias, juntamente com as medidas não medicamentosas [B]1.2.
Um outro estudo de meta-análise, conclui que a melatonina é ineficaz no tratamento de distúrbio do sono secundários ou distúrbios do sono que acompanham a restrição do sono, como o Jet lag ou o trabalho por turnos [C]4. Mas, os estudos selecionados mostram inconsistências e muitos outros estudos  não foram incluídos 5 .
A farmacologia e a toxicologia da melatonina necessitam de estudos sistemáticos e o controle de qualidade farmacêutica rotineiro  deve ser estabelecido. O uso ocasional e de curto prazo parece ser seguro. Relatos de casos sugerem que a melatonina pode ser nociva em pessoa com epilepsia ou em uso de warfarina concomitante1. Os efeitos adversos mais frequentes são sonolência diurna e fadiga3.

Os sintomas do Jet lag incluem sono perturbado, aumento da fadiga, perda de concentração e aumento da irritabilidade durante o dia, e ainda dificuldades em iniciar e manter o sono durante a noite. Voos longos também são muitas vezes cansativos e desconfortáveis (fadiga de viagem), e o ar de cabine seca contribui para a desidratação. Esses efeitos podem ser distinguidos daqueles do jet lag comparando voos em fusos horários, por exemplo, da Europa para a Ásia, com vôos de comprimento similar ao longo do mesmo meridiano, digamos para a África Austral, que causam cansaço de viagem, mas nenhum jet lag2.
Orientações a respeito de medidas não medicamentosas pode ajudar na adaptação ao destino. Oriente o paciente que referencial mais importante é a luminosidade: depois de um voo para o oeste, ele deve tentar ficar acordado enquanto é dia no destino e tentar dormir anoitecer. Depois de um voo para o leste, tentar manter-se acordado, mas evitar a luz brilhante na parte da manhã, e estar ao ar livre tanto quanto possível na parte da tarde. Esse comportamento irá ajustar o relógio do corpo e ativar a secreção de melatonina do próprio corpo no momento certo2.
Outras sugestões podem reforçar a adaptação: comer modestamente nos momentos que correspondem às refeições normais, fazer exercícios confortáveis e ver as atrações favoritas com a luminosidade indicada. Não está claro se o álcool ou a cafeína afetam a adaptação e provavelmente depende parcialmente do que a pessoa está acostumada. Mas parecem mais propensos a dificultar que a ajudar a adaptação2.

 

 

Bibliografia Selecionada

1. Herxheimer A, Petrie KJ. Melatonin for the prevention and treatment of Jet lag. Cochrane Database Syst Rev. 2002;(2):CD001520. Review. PubMed PMID: 12076414. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12076414

2. Herxheimer, Andrew, and Jim Waterhouse. “The Prevention and Treatment of Jet Lag : It’s Been Ignored, but Much Can Be Done.” BMJ : British Medical Journal 326.7384 (2003): 296–297. Print. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1125170/

3. DynaMed [Internet]. Ipswich (MA): EBSCO Information Services. 1995 – . Record No. 115827, Melatonin for jet lag; [updated 2010 Jun 02, cited place cited date here]; [about 3 screens]. Available from http://search.ebscohost.com/login.aspx?direct=true&db=dnh&AN=115827&site=dynamed-live&scope=site. Registration and login required.

4. Buscemi N, Vandermeer B, Hooton N, Pandya R, Tjosvold L, Hartling L, Vohra S, Klassen TP, Baker G. Efficacy and safety of exogenous melatonin for secondary sleep disorders and sleep disorders accompanying sleep restriction: meta-analysis. BMJ. 2006 Feb 18;332(7538):385-93. Review. PubMed PMID: 16473858; PubMed Central PMCID: PMC1370968.Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1370968/

5. Arendt, Josephine. “Does Melatonin Improve Sleep?: Efficacy of Melatonin.” BMJ : British Medical Journal 332.7540 (2006): 550. Print. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1388143/