Contato

SOF

Qual o sistema adesivo deve ser utilizado durante a técnica de dentina úmida?

| 15 ago 2018 | ID: sof-39870
Esta SOF foi útil pra você?
Reload

Enter the code

Durante a utilização da técnica de adesão à dentina úmida os sistemas adesivos mais recomendados são os que contêm em sua composição os solventes álcool ou acetona (1,2,3). A razão do melhor desempenho desse tipo de solvente em dentina úmida é que, após a desmineralização e exposição das fibras de colágeno, estas se mantêm expandidas pela umidade, facilitando a infiltração dos monômeros resinosos (1,4).

Os sistemas adesivos de quinta geração, isto é, os monocomponentes chamados de “self etchimg” mantém um equilíbrio nas concentrações dos monômeros hidrofílicos e hidrofóbicos para que exerçam, ao mesmo tempo, a função, do”primer” e da resina adesiva. “Inicialmente, são materiais fluídos e voláteis (“primer”) e tornam-se mais espessos após a evaporação (adesivo). O monômero hidrofílico auxilia no processo de infiltração para dentro da rede colágena desmineralizada. O monômero hidrofóbico BIS-GMA assegura formação de uma razoável espessura de resina não polimerizada, cuja função é promover a adaptação do material restaurador polimérico. O monômero HEMA é o componente principal da maioria destes produtos. Geralmente apresentam como solvente álcool ou acetona, sendo o ultimo mais sensível à técnica e tem resultado em valores elevados de adesão in vitro, principalmente quando aplicados em dentina úmida” (Kanca, 1996; Abdalla, Garcia-Godoy, 1997) (5,6,7).
É importante saber que em consideração à aplicação técnica, um dos fatores que mais influenciam as propriedades de manipulação é quanto ao tipo de solvente presente nos adesivos (2,8). O solvente é o veículo que leva o monômero presente nos primers dos adesivos em 2 frascos e nos adesivos de 1 frasco que utilizam ácido fosfórico como pré-tratamento. Os solventes mais utilizados são o álcool e a acetona, porém a diferença de volatilidade entre eles faz com que a técnica de aplicação tenha também um cuidado especial. Para adesivos com acetona em sua composição, a recomendação é que se utilize imediatamente depois de dispensar sobre a dentina úmida, de três a cinco aplicações consecutivas sem jato de ar entre as camadas. A remoção do excesso de solvente deve ser realizada depois da aplicação das camadas de forma cuidadosa, por pelo menos 20 segundos. Para adesivos com álcool como solvente uma aplicação de adesivo sobre a dentina recém dispensada é suficiente. O importante é que o aplicador esteja suficientemente saturado e que o tempo de contato do mesmo com a dentina seja de aproximadamente 30 segundos (1,2).
Assim sendo, a umidade intrínseca pode favorecer a química dos sistemas adesivos mais novos que, para serem efetivos, devem ser aplicados sobre a dentina úmida (2).

Bibliografia Selecionada

1. Sousa JHP, Moro AFV. Solventes do Primer: revisão de literatura. Rev Bras Odontol. 2014 Jan/Jun.;71(1):80-4. Disponível em: http://revista.aborj.org.br/index.php/rbo/article/view/540/417
2. Andrade OS, Kina S, Hirata R. Sistemas adesivos: Aplicação clínica e conceitos atuais. Prótese & Estética Dental. 2006. [acesso em 28 fev. 2018]. Disponível em: http://www.ronaldohirata.com.br/wp-content/uploads/2012/09/adesivos_ksh.pdf
3. Oliveira NA, et al. Sistemas adesivos: conceitos atuais e aplicações clínicas. Revista Dentística online . 2010;9(19):6-14. Disponível em: http://coral.ufsm.br/dentisticaonline/0902.pdf
4. Tay FR, Gwinnett JA, Wey SHY. Micromorphological spectrum from overdrying to overwetting acid-conditioned dentin in water-free, acetona based, single-botlle primer/adhesives. Dent Mater. 1996 Jul;12(4):236-44. Disponível em: https://www.demajournal.com/article/S0109-5641(96)80029-7/pdf
5. Kanca J. Wet bonding: effect of drying time and distance. Am J Dent. 1996 Dec;9(6):273-276.
6. Abdalla AI, Garcia-Godoy F. Bond strengths of resin-modified glass ionomers and polyacid-modified resin composites to dentin. Am J Dent. 1997 Dec;10(6):291-294.
7. Delvan GS. Sistemas Adesivos Dentinários. Trabalho de Conclusão de Curso de Pós Graduação em Dentistica Restauradora como pré-requisito para obtenção do titulo de Especialista. Associação Brasileira de Odontologia. Escola de Aperfeiçoamento Profissional. Curso de Especialização em Dentística Restauradora. Florianópolis. novembro de 2001. Disponível em: http://tcc.bu.ufsc.br/Espodonto220969.PDF  Acesso em: 14/08/18
8. Reis AF, Oliveira MT, Giannini M, De Goes MF, Rueggeberg FA. The effect of organic solvents on one-bottle adhesives’ bond strength to enamel and dentin. Oper Dent. 2003 Nov-Dec;28(6):700-706. Disponível em: http://www.jopdentonline.org/doi/pdf/10.2341/1559-2863-28-6-1