Contato

SOF

A cárie dentária pode impactar na qualidade da saúde bucal de crianças na primeira infância?

| 28 fev 2018 | ID: sof-37393
Esta SOF foi útil pra você?
Reload

Enter the code

A presença de desordens bucais, em sua forma severa, poderá afetar negativamente a qualidade de vida relacionada á saúde bucal (QVRSB) tanto da criança como a da sua família(2), levando, muitas vezes, a uma condição bucal de completa destruição dentária e dor, comprometendo a mastigação, promovendo a perda de apetite e de peso, déficit de crescimento, dificuldades na fonação, alteração nos padrões de sono, diminuição do rendimento escolar, além de alteração no comportamento (baixa autoestima).

Atualmente, a cárie dentária constitui-se num dos problemas de saúde bucal mais comuns que afetam a população infantil em países em desenvolvimento ao redor do mundo, sendo a cárie precoce da infância (CPI) uma patologia multifatorial e crônica que acomete a dentição decídua de crianças em idade pré-escolar, sendo, portanto, classificada pela Academia Americana de Odontopediatria como a presença de uma ou mais superfícies dentárias cariadas (lesões cavitadas ou sem cavitação), ausência (devido à cárie) ou a existência de restaurações em qualquer dente decíduo em crianças com até seis anos de idade(1).
Uma pior QVRSB foi demonstrada na presença de cárie dentária não tratada em muitos estudos(3,4), sendo que foi observada uma associação significativa entre o aumento da gravidade da doença e escores mais altos dos instrumentos, indicando uma pior QVRSB à medida que a doença se torna mais grave(5). Alguns fatores sociodemográficos bem como o conhecimento dos pais sobre saúde bucal também têm sido demonstrados como fatores influenciadores na QVRSB de crianças(6).
Há inúmeros instrumentos utilizados para mensurar a QVRSB na população infantil, porém há poucos instrumentos usados especificamente em crianças em idade igual ou inferior a 6 anos. Dentre eles, podemos citar: o ECOHIS – Early Childhood Oral Health Impact Scale, baseado em relatos secundários dos pais, mesmo sabendo que os relatos secundários e auto-relatos das crianças mensuram realidades diferentes, e o Scale of Oral Health Outcomes for 5-year-old children –SOHO-(5), que usa auto-relatos de crianças a partir de 5 anos de idade e de seus pais para avaliar a condição bucal da criança. Ambos os instrumentos citados foram adaptados e validados ao idioma português do Brasil com o intuito de avaliar o impacto das doenças bucais na QVRSB nesta determinada população (5, 7-9).

Bibliografia Selecionada

1. Abanto J, Cordeschi T, Peters BG, Paiva SM, Bonecker M. Concordância entre os relatos do núcleo familiar em relação à qualidade de vida da criança. Rev Assoc Paul Dent. 2015 jan-mar;68(1):44-8. Disponível em: http://revodonto.bvsalud.org/pdf/apcd/v68n1/a06v68n1.pdf
2. Granville-Garcia AF, Gomes MC, Dantas LR, Dantas LR, da Silva BR, Perazzo Mde F, Siqueira MB. Parental influence on children’s answers to an oral-health-related quality of life questionnaire. Braz Oral Res. 2016 mar;30(1):e14. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-83242016000100230
3. Abanto J, Paiva SM, Sheiham A, Tsakos G, Mendes FM, Cordeschi T, Vidigal EA, Bönecker M. Changes in preschool children’s OHRQoL after treatment of dental caries: responsiveness of the B-ECOHIS. Int J Paediatr Dent. 2016 jul;26(4):259-65. Disponível em: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/ipd.12192/abstract
4. Wong HM, McGrath CP, King NM, Lo EC. Oral health-related quality of life in Hong Kong preschool children. Caries Res. 2011 ago;45(4):370-6. Disponível em: https://www.karger.com/Article/Abstract/330231
5. Abanto J, Tsakos G, Paiva SM, Raggio DP, Celiberti P, Bönecker M. Agreement between children aged 5-6 years and their mothers in rating child oral health-related quality of life. Int J Paediatr Dent. 2014 Sep;24(5):373-9. Disponível em: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/ipd.12081/abstract
6. Kumar S, Kroon J, Lalloo R. A systematic review of the impact of parental socio-economic status and home environment characteristics on children’s oral health related quality of life. Health Qual Life Outcomes. 2014 Mar 21;12:41. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4000002/pdf/1477-7525-12-41.pdf
7. Martins-Júnior PA, Ramos JJ, Paiva SM, Marques LS, Ramos JML. Validations of the Brazilian version of the Early Childhood Oral Health Impact Scale (ECOHIS). Cad. Saúde Pública [Internet]. 2012 Feb; 28(2): 367-374. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2012000200015
8. Scarpelli AC, Oliveira BH, Tesch FC, Leão AT, Pordeus IA, Paiva SM. Psychometric properties of the Brazilian version of the Early Childhood Oral Health Impact Scale (B-ECOHIS). BMC Oral Health. 2011 Jun 13;11:19. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3125235/pdf/1472-6831-11-19.pdf
9. Tesch FC, Oliveira BH, Leão A. [Semantic equivalence of the Brazilian version of the Early Childhood Oral Health Impact Scale]. Cad Saude Publica. 2008 Aug;24(8):1897-909. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2008000800018&lng=en&nrm=iso&tlng=en