Contato

SOF

Que informações atualizadas temos sobre a vacina contra o vírus Zika ?

| 28 fev 2018 | ID: sof-37257
Esta SOF foi útil pra você?
Reload

Enter the code

São 3 fases até se liberar vacinas para uso em humanos, sendo que o tempo total habitualmente são entre 10 e 15 anos.(1) Especificamente sobre a vacina contra o vírus Zika, em fevereiro de 2016, foi assinado acordo entre o Instituto Evandro Chagas (IEC) e a Universidade Medical Branch em Galveston no Texas, EUA, portanto estão ainda nas fases iniciais da pesquisa (Ver infográfico), mas desde então vem se desenvolvendo a vacina com testes em animais; os recursos são da ordem de R$ 10 milhões.

Recentemente os pesquisadores das referidas instituições, publicaram artigo na revista Nature Medicine, intitulado “A live-attenuated Zika virus vaccine candidate induces sterilizing immunity in mouse models” (Numa tradução livre: Testes com vacina experimental contra Zika com vírus vivo atenuado induz imunidade total em camundongos). A vacina deverá ser administrada em dose única. Inicialmente, o público-alvo da imunização será mulheres em idade fértil e seus parceiros, mas prevê-se a vacinação de crianças de ambos os sexos com 10 anos ou menos o que impediria que gestantes pudessem se vacinar inadvertidamente. O imunobiológico não poderá ser aplicado em gestantes, mas o IEC, juntamente com a UTMB, também desenvolve outra tecnologia, a partir do DNA recombinante do vírus para ser utilizada em mulheres grávidas.(2)
Mesmo com a introdução da vacina no futuro, a Dengue, Febre do Zika Vírus e Febre Chikungunya, continuarão a merecer intensos cuidados nas medidas de prevenção, especialmente porque são transmitidas pelos mesmos mosquitos do gênero Aedes, especialmente pelo Aedes aegypti; portanto o combate intensivo dos focos de mosquito é fundamental para o controle permanente da doença.(3)
Atributos da APS:
Acesso: O serviço de saúde deve garantir acesso aos melhores insumos à saúde, principalmente procedimentos diagnóstico e tratamentos medicamentosos ou não. Isso deve ser feito baseando-se em evidências científicas consistentes equilibrada com a prática clínica centrada na pessoa.
Material complementar:
Telessaude ES. Webconferência: Dengue, Zika e Chikungunya (aprox. 107 min.). Palestrante: Tálib Moysés Moussallem ( Médico infectologista referência em dengue, zika e chikungunya SESA/ES); Carmen Nielsen (Debatedor) . Publicado em 09 dez 2015. Disponível em:https://www.youtube.com/watch?v=ezWxr0sfCGA
FIOCRUZ. Ações de comunicação da Fiocruz no combate ao vírus zika [internet] , 2017 [citado em 2017 Set 28]. Disponível: https://portal.fiocruz.br/pt-br/content/fiocruz-no-combate-ao-virus-zika
Brasil. Ministério da Saúde. Dengue, Chikungunya e Zika [internet]. 2017. [citado em 2017 Set 28]. Disponivel em: http://combateaedes.saude.gov.br/pt/

zika

 

Bibliografia Selecionada

1. Brasil. Ministério da Saúde. Portal Saúde. Entenda as fases de testes e como funcionará a vacina contra o zika. Pub. 31 mai 2016 [internet]. Atualizado 31 mai 2016. Acesso em: 28 set 2017. Disponível em: http://www.brasil.gov.br/saude/2016/05/entenda-as%20fases-de-testes-e-como-funcionara-a-vacina-contra-o-zika
2. Instituto Evandro Chagas. Secretaria de Vigilância em Saúde. Artigo de pesquisadores do IEC na revista Nature Medicine explica ação da vacina contra vírus Zika. Acesso em: 28 set 2017. Disponível em: http://www.iec.gov.br/portal/vacina/
3. Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Zika: Abordagem clínica na atenção básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2015. Acesso em: 09 set 2017. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/15672/1/Zika%20-%20Abordagem%20cl%C3%ADnica%20na%20aten%C3%A7%C3%A3o%20b%C3%A1sica.pdf