Contato

SOF - Áreas Temáticas

Apoio ao Diagnóstico Assinar Feed RSS

Como é realizado o exame de baciloscopia para hanseníase?

Em pacientes com lesões cutâneas visíveis ou áreas com alteração de sensibilidade, a coleta deverá ser feita em lóbulo auricular direito (LD), lóbulo auricular esquerdo (LE), cotovelo direito (CD) e lesão (L), conforme a figura 1. Nas lesões planas, coletar no limite interno. Nos nódulos, tubérculos e placas eritematosas marginadas por microtubérculos, coletar no centro.

Quando devemos suspeitar de um quadro da Síndrome de Guillain-Barré?

A Síndrome de Guillain-Barré (SGB) é um quadro geralmente precedido por infecção ou outra estimulação imunológica que induz uma resposta autoimune aberrante visando nervos periféricos e suas raízes espinhais. Infecções bacterianas por Campylobacter jejuni, Mycoplasma pneumoniaee virais por Epstein-Barr e citomegalovírus estão entre os agentes infecciosos mais comuns capazes de acionar a SGB 1. Uma […]

Qual a conduta diante de um resultado de exame citopatológico (CP) somente com células escamosas?

O resultado de exame citopatológico (CP), com esfregaço normal somente com células escamosas não necessita de repetição imediata do exame, deve ser realizado novo CP com intervalo de um ano.

É necessário encaminhar pacientes com traço falciforme ao hematologista?

Não é necessário encaminhar pacientes com traço falciforme ao hematologista. Portadores de traço falciforme não possuem uma doença, mas uma característica genética que não requer tratamento.

O que é resultado falso positivo para hepatite C?

O resultado falso positivo é mais comum em portadores de doenças autoimunes com auto-anticorpos circulantes, além de indivíduos que tiveram hepatite C aguda, que curaram espontaneamente, mas que mantêm a sorologia positiva por várias semanas. Por outro lado, o exame também pode ser falso negativo em pacientes com sistema imunológico comprometido.1,2

O que fazer diante de um laudo de Papanicolau que apresente áreas com dessecamento?

A mulher deve repetir o exame em 6 a 12 semanas com correção, quando possível, do problema que motivou o resultado insatisfatório2,3

Quando é necessário rastrear retinopatia em paciente diabético?

A retinopatia diabética é uma complicação microvascular progressiva que pode culminar em perda visual grave e permanente. Existe a possibilidade de controle e prevenção se for detectada e tratada a tempo. Dessa forma, pacientes com diabetes tipo 1 e 2 devem ser submetidos ao exame de fundo de olho por oftalmologista para rastreamento da retinopatia, […]

Resultado de exame citopatológico (CP) que indica atrofia com inflamação, qual a conduta?

O resultado de um exame citopatológico do colo de útero indicando atrofia com inflamação é um achado normal no período climatérico. Quando não houver presença de atipias, não altera a rotina de rastreamento.

Qual a conduta para um paciente com esteatose hepática vista em ecografia?

O achado ocasional de esteatose hepática deve ser seguido de avaliação clínica e laboratorial. A esteatose ecográfica pode ser devida ao uso de álcool ou não alcoólica – associada a doenças como obesidade, diabetes mellitus, hipertensão arterial sistêmica e dislipidemia. Deve-se abordar o uso de álcool e recomendar redução ou abstenção conforme o caso.

Quando se deve repetir endoscopia em pacientes com dispepsia?

Pacientes com dispepsia já investigada com endoscopia podem necessitar de nova endoscopia nas seguintes situações: – Controle de erradicação de H. pylori em pacientes com úlcera gástrica ou duodenal, pelo menos 4 semanas após o tratamento de erradicação; – Controle de cicatrização de úlcera gástrica, após 8 a 12 semanas de uso de inibidor de […]