Contato

SOF - CIAP2

A50 Medicação / prescrição / pedido / renovação / injeção Assinar Feed RSS

Pode-se partir na metade um comprimido?

Não é recomendado partir um comprimido pela incerteza da dose administrada.

Paciente em uso prolongado de corticoide oral: quando/como fazer a retirada gradual?

Pacientes em uso prolongado de corticoide são considerados com possível risco de supressão do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal nas seguintes situações: recebendo dose diárias totais maior ou igual a 10 mg de prednisona (ou outro corticoide em dose equivalente) por mais de 3 semanas; recebendo dose noturna maior ou igual a 5 mg de prednisona por mais […]

É necessário realizar a assepsia da pele para aplicação de medicamento injetável?

Deve-se realizar assepsia da pele antes da aplicação de medicamentos injetáveis, independente da via (intradérmica, subcutânea, intramuscular, endovenosa), pois o procedimento minimiza os riscos de infecção local ou sistêmica. Essa é a recomendação de protocolos internacionais sobre segurança do paciente.

É sempre necessário solicitar um eletrocardiograma antes de prescrever um antidepressivo tricíclico?

Não há necessidade absoluta de solicitar eletrocardiograma (ECG) antes de prescrever um antidepressivo tricíclico. Pacientes sem fatores de risco para morte súbita e em uso de doses baixas de tricíclicos (abaixo de 100 mg/dia de amitriptilina, imipramina e clomipramina e abaixo de 62,5 mg/dia de nortriptilina,) não necessitam realizar um ECG antes da prescrição. Tricíclicos […]

É recomendável administrar penicilina benzatina em uma USF?

A administração da Penicilina Benzatina (Benzetacil®) na Unidade de Saúde da Família (USF) é segura, desde que estes sigam protocolos de identificação precoce de casos suspeitos de anafilaxia, de tratamento imediato e encaminhamento para unidades de referência. Considerando que esse medicamento é o tratamento preconizado para doenças de relevante impacto em saúde pública (como febre […]

Como proceder em casos de efeito adverso medicamentoso no tratamento da hanseníase?

Todo paciente em tratamento para hanseníase, com suspeita de efeitos colaterais indesejáveis causados pela medicação, deve ser avaliado na Unidade Básica de Saúde (UBS) para definição da conduta terapêutica a ser tomada, garantindo a integralidade da assistência e evitando o abandono do tratamento. (1) A PQT (poliquimioterapia) é notavelmente segura e os efeitos adversos graves […]

Existe evidência científica para o uso da pregabalina no tratamento da dor crônica?

Sim. A pregabalina é conhecida, em diversos estudos clínicos, por sua eficácia no tratamento da neuralgia pós-herpética, neuropatia diabética dolorosa e fibromialgia, e recentemente no manejo de sintomas neuropáticos em pacientes com quadros álgicos crônicos nas costas e no pescoço (1-6). Também tem demonstrado ser uma alternativa custo-efetiva para casos de dor no pescoço refratária […]

Como realizar anticoncepção de emergência?

Há duas formas atuais aceitáveis de oferecer a anticoncepção de emergência (AE). A primeira, conhecida como regime ou método de Yuzpe, utiliza anticonceptivos hormonais orais combinados (AHOC) de uso rotineiro em planejamento familiar e conhecidos como “pílulas anticoncepcionais”. O Método de Yuzpe consiste na administração de pílulas anticoncepcionais combinadas, compostas de um estrogênio e um […]

A erva mate possui ação terapêutica comprovada cientificamente?

As propriedades terapêuticas da erva mate ainda não foram amplamente investigadas em estudos clínicos e sua eficácia necessita ser investigada a longo prazo. Ilex paraguariensis, conhecida como erva mate possui diversas ações terapêuticas relatadas na literatura etnofarmacológica1. Dentre essas, as ações investigadas nos ensaios clínicos que correspondem a problemas prevalentes na Atenção Primária à Saúde […]

Quais os tratamentos não medicamentosos para dor crônica?

Existem várias modalidades de tratamento não medicamentoso para dor crônica: intervenções comportamentais, psicoterapia, técnicas de relaxamento, acupuntura e auriculoterapia são as principais. Primeiramente para abordagem adequada da dor crônica é importante ter em mente que a evolução do tratamento para dor depende de respostas individuais da relação do paciente com sua própria dor¹. A dor […]