A cavidade bucal pode anunciar a presença de sarampo?

Sim, por volta do terceiro a quarto dia da febre, surgem na cavidade  bucal inúmeras máculas branco-azuladas ou branco-acinzentadas, medindo de 1 a 3 mm, circundadas por um halo eritematoso, indolores, localizadas na mucosa jugal, próximo ao ducto de desembocadura das glândulas parótidas (ducto de Stenon). Estas máculas aumentam em número e coalescem para formar manchas patognomônicas desta infecção viral, denominadas de Manchas de Koplik, presentes em 97% dos pacientes acometidos pelo sarampo. Cerca de um a três dias após o surgimento das referidas manchas, surge a erupção cutânea,  que  começa usualmente  na  face,  e  linha  de implantação dos cabelos,  atrás da orelha, estendendo-se para o pescoço, peito, costas e extremidades(1).

Diversas doenças comuns da infância podem manifestar-se na cavidade bucal, ainda no período prodrômico, isto, é antes de seu aparecimento clínico. Desta forma, as manifestações bucais são muito comuns e podem ser os primeiros sinais e sintomas de doenças. As lesões bucais podem indicar o início ou evolução de alguma enfermidade, e, portanto, podem funcionar como um sistema de alarme precoce para algumas doenças. Dentre as diversas doenças virais que acometem, principalmente, crianças e possuem manifestações bucais, destaca-se o sarampo(1,2). O sarampo é uma enfermidade infecciosa, exantemática aguda, uma das mais contagiosas de todas as doenças transmissíveis, provocada pelo paramixovírus, o qual se  dissemina  pelo  ar, através  do  contato  direto  com  os  perdigotos  secretados  pelas  vias  respiratórias  de  pessoas  infectadas. Apresenta  um  tempo  de  incubação  em  torno de  8  a  10  dias,  e  sinais  prodrômicos  como  febre alta, mal-estar, cefaleia, inapetência, tosse,  conjuntivite,  fotofobia e  lacrimejamento. O sarampo pode apresentar diversas complicações graves, como encefalites, podendo até levar a óbito. O tratamento consiste na terapia de suporte (ingestão de líquidos, alimentação adequada, repouso e uso de antipiréticos). Entretanto, a melhor opção ainda é a vacinação por meio da tetraviral (sarampo, caxumba, rubéola e catapora)(3). O diagnóstico precoce representa melhora na qualidade de vida do paciente, na sua sobrevida e ainda na racionalização dos custos do tratamento. Desta forma, é importante por parte de todos os profissionais de saúde que atendem nos serviços de saúde pública, a exemplo do dentista(4),  o reconhecimento dos sinais e sintomas das doenças sistêmicas, com repercussão oral, pois muitas delas manifestam-se inicialmente na boca para  um  correto  diagnóstico, agilidade no tratamento  e  vigilância  dos casos.