As vacinas contra Covid-19 disponíveis são indicadas para pacientes em tratamento de câncer?

Pacientes em tratamento oncológico devem tomar a vacina contra a COVID-19. É importante ressaltar que para esses pacientes a vacina deve ser de vírus inativado. As vacinas com vírus vivo atenuado são totalmente contraindicadas em pacientes que estejam em tratamento com imunossupressores(1).

No caso do Brasil as vacinas aprovadas (CoronaVac® e AstraZeneca/Oxford) e em uso são seguras para pacientes em tratamento oncológico(1). A CoronaVac® desenvolvida pelo laboratório Sinovac Biotech utiliza o vírus inativado. As partes do novo coronavírus presentes na vacina são apenas aquelas que possibilitam induzir a produção de anticorpos por parte do sistema imunológico. Já a vacina AstraZeneca/Oxford utiliza um vetor viral não replicante, que consiste na utilização de um vírus modificado para estimular o sistema imunológico na produção de anticorpos contra o novo coronavírus. Na  fabricação da vacina AstraZeneca/Oxford utiliza-se uma espécie de vírus enfraquecido (adenovírus ChAdOx1)(1-2). Dessa forma, considerando a composição das vacinas citadas (vírus inativado e vetor viral não replicante) é improvável que exista risco aumentado de eventos adversos(3).

O momento ideal de tomar a vacina seria antes de iniciar o tratamento, porém, pode ser aplicada durante, em um momento mais oportuno que será definido pelo médico oncologista, desde que observada a ressalva de não utilizar vacinas de vírus atenuado em pacientes imunossuprimidos(1). Portanto, a avaliação de risco benefício e a decisão referente à vacinação ou não deverá ser realizada pelo paciente em conjunto com o médico assistente, sendo que somente deverá ser realizada com prescrição médica(3). Cabe lembrar que os testes das vacinas acima citadas não foram feitos em pacientes imunossuprimidos, porém por se tratarem de vacinas com vírus inativos recomenda-se sua aplicação, ponderado com os riscos da contaminação pelo novo coronavírus nesse grupo de pacientes(1).