As visitas domiciliares utilizando os Dez Passos de uma alimentação saudável em crianças menores de dois anos podem prevenir cáries em crianças menores de um ano?

A orientação sistemática, sob forma de visitas domiciliares visando uma alimentação adequada através dos Dez passos para uma alimentação saudável em crianças menores de dois anos (2), do Ministério da Saúde, e incentivo à amamentação são efetivos na redução do número de cáries em crianças até um ano de idade (Grau 1B).
O estudo é de alta relevância no contexto da Atenção Primária brasileira, pois compara intervenções inovadoras típicas da Estratégia Saúde da Família (visitas domiciliares) com atenção pediátrica tradicional, com visível superioridade da primeira. Isto reforça o caráter substitutivo da mesma na política de saúde nacional.O estudo tem uma metodologia adequada para um Ensaio Clínico Randomizado (ECR) com intervenção relacionada a orientações alimentares. (1) Avaliações de padrões de dieta sempre são parâmetros difíceis de serem estudados em populações, devido a diversidades de definições e erros nas informações prestadas pelos entrevistados. No entanto, não se pode afirmar que não há relevância e validade nestes tipos de estudo. Como o texto indica, o viés de memória pode não ser importante pelo recordatório não ter sido maior que 6 meses.
O Efeito Hawthorn citado como pouco provável (participantes do grupo intervenção modificam seus hábitos intencionalmente para “agradar” a equipe pesquisadora, alterando os resultados) deve ser considerado com cuidado. Apesar de ser tido como improvável, devido ao fato das respostas serem dadas a entrevistadores e não às pessoas que realizaram a intervenção, a intenção do agrado pode permanecer. Pode haver um viés em função das perdas ou de não-respondentes, pois houve diferença entre os grupos em não se encontrar o endereço (p-valor 0,001). Estas pessoas do grupo controle (n=28) poderiam ser diferentes, alterando algumas relações encontradas.


Sumário das evidências Foi realizado um Ensaio Clínico Randomizado, em uma cidade de 200.000 habitantes no Rio Grande do Sul, onde 200 pares mãe/filho receberam visitas domiciliares no 10º dia de vida da criança, mensalmente até o 6º mês, no 8º, 10º e 12º mês, quando eram orientadas, através dos dez passos para uma alimentação saudável do MS e de outras intervenções sobre cuidados para manutenção da amamentação, alimentação adequada no desmame e em outros momentos.O grupo controle foi formado por 300 pares mãe/filho, que receberam cuidados habituais de um pediatra, na rotina de puericultura orientada por estes. Todas as participantes foram captadas na rede do Sistema Único de Saúde da cidade.Houve 21% de perdas no grupo da intervenção, enquanto no grupo controle esta foi de 27%. Não houve diferenças significativas entre os grupos, quando se compararam as razões para as perdas, exceto no quesito “Endereço não encontrado”, onde as perdas foram maiores no grupo controle, com p-valor ficou em 0,001. Também não houve diferença significativa entre características importantes para o desfecho entre os grupos estudados.A proporção de crianças com cáries foi significativamente menor no grupo da intervenção (OR: 0,52, IC95% 0,27 – 0,97, p-valor 0,03), mesmo após ajuste para número de dentes. Além disso, este grupo teve maior duração de amamentação exclusiva (p-valor <0,01), introdução mais tardia de açúcar na alimentação (p-valor 0,005) e menor probabilidade do consumo de mel (p-valor 0,003), chocolate ou doces (p-valor 0,001), refrigerantes (p-valor 0,02), biscoitos (p-valor <0,01) e queijo fresco (p-valor 0,001). Não houve diferença estatística na freqüência da amamentação (p-valor 0,145) e no uso de mamadeira noturna (p-valor 0,805).

Bibliografia Selecionada

  1. Feldens CA, Vítolo MR, Drachler Mde L. A randomized trial of the effectiveness of home visits in preventing early childhood caries. Community Dent Oral Epidemiol. 2007  Jun;35(3):215-23.
  2. Brasil. Ministério da Saúde. Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de dois anos. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/dez_passos_para_familia.pdf Acesso em 24 mar 2015.