Como orientar jovens com transtornos mentais de comportamento sobre saúde bucal, atendidos nos Centros de Apoio Psicossocial?

Existem vários recursos metodológicos (canais de comunicação) a serem utilizados, além da palestra, como teatros, filmes, música, materiais ilustrativos, objetos concretos, entre outros4. O importante é ser criativo e despertar o interesse do grupo. Independente do recurso utilizado, as atividades educativas devem ser realizadas de forma dialógica, com a participação ativa dos educandos. Utilizar de linguagem acessível é fundamental a fim de facilitar o entendimento por parte dos pacientes1.

Complementação As doenças bucais ais prevalentes nesses pacientes são a cárie dentária e a doença periodontal1,2,3. As ações educativas para esse público devem visar a sua motivação para um controle mecânico efetivo da placa bacteriana, por meio da escovação com pasta fluoretada e utilização do fio dental1. Além disso, a instrução de uma dieta nutritiva, com consumo inteligente de açúcares, é fundamental3. Seguem sugestões de assuntos a serem abordados no processo educativo: importância da saúde bucal; relação saúde bucal e geral; placa bacteriana – o que é, como se forma e consequências, como remover; hábitos de higiene – escovação, uso do fio dental; hábitos alimentares – relação dieta/cárie; e autoexame bucal (como observar alterações da mucosa bucal e sangramento gengival).