Criança que nasceu com hipospádia pode esperar quanto tempo até realizar uma cirurgia para correção ?

O momento da cirurgia é variável, geralmente sua realização é indicada entre 6 e 24 meses(1,2). O encaminhamento cirúrgico não é necessário para pacientes com defeitos leves se as reconstruções cirúrgicas não forem solicitadas pela família(2).

Complementação: O tratamento definitivo é o reparo cirúrgico e as indicações para a cirurgia podem ser funcionais ou estéticas(1). A necessidade de encaminhamento urológico é baseada na gravidade das hipospádias (deflexão significativa do fluxo urinário; incapacidade de urinar de pé; disfunção erétil devido à curvatura peniana, que levarão, posteriormente, a dificuldades na relação sexual; risco de problemas de fertilidade devido a dificuldades de deposição de esperma)(2).   Comentário DynaMed - a cirurgia geralmente não é realizada antes da idade de 6 meses devido ao aumento do risco de anestesia e crescimento pós-natal incompleto pós-natal devido ao aumento do hormônio perinatal; A cirurgia é tipicamente feita antes dos 18 meses de idade, antes da percepção genital e da memória da cirurgia ter ocorrido(1).   As hipospádias são anomalias congênitas do trato urogenital externo masculino em que o meato uretral abre na superfície ventral do pênis, escroto ou períneo, impactando potencialmente a função urinária e sexual. Do total de casos 60% a 65% são na parte distal do pênis, ou bem próxima da abertura normal do meato urinário. Os casos mais graves são os que ocorrem na região proximal, que mais próximos da região do pênis mais próxima à bolsa escrotal(1).  A abordagem cirúrgica geralmente depende da gravidade da hipospadia e características associadas, e geralmente inclui a correção da curvatura do pênis, se presente; uretroplastia e reposicionamento do meato ectópico(1). É importante lembrar que outras anormalidades congênitas podem estar presentes e deve-se incluir o aconselhamento genético para família, como parte da prevenção primária(1).   Atributos da APS Integralidade do cuidado: A equipe deve ficar atenta aos aspectos psicológicos individuais e familiares do nascimento de uma criança com má formação. Além do estresse previsível desta etapa do ciclo de vida, outros aspectos serão envolvidos e podem ajudar a potencializar o cuidado da criança, mas se forem negligenciados podem causar repercussões familiares como separações precoces e individuais como alterações da saúde mental da mãe e de outros membros da família.   Material complementar: McAninch JW. Capítulo 41. Disorders of the Penis & Male Urethra. In: McAninch JW, Lue TF.  eds). Smith and Tanagho's General Urology, 18e New York, NY: McGraw-Hill; 2013 [Citado em 2019 Nov 27]. Disponível em: https://accessmedicine.mhmedical.com/content.aspx?bookid=508&sectionid=41088118 SOF Relacionada: Quais os achados no exame físico do bebê que sugerem Anomalia da Diferenciação Sexual (genitália ambígua)?