Criança que toma fórmula láctea necessita ingerir outros alimentos e terá os mesmos nutrientes de uma criança que toma leite materno?

O leite materno sempre deve ser a primeira opção de alimentação para a criança desde seu nascimento até os 2 anos, sendo que nos primeiros 6 meses o ideal seria que este fosse o único alimento oferecido (sem ser necessário a oferta de água e/ou chás). O leite materno oferece, na sua composição, todos os nutrientes necessários para um crescimento e desenvolvimento adequado da criança. Quando houver alguma dificuldade de amamentar, deve-se revisar com a mãe: o posicionamento da criança na hora da amamentação, pois uma pega inadequada pode dificultar a saída do leite; o local escolhido para a amamentação, pois um local tranqüilo e agradável deixa a mãe mais à vontade para amamentar; o esgotamento/esvaziamento das mamas nos intervalos das mamadas, pois se as mama estiverem muito cheias pode causar desconforto. Após essas questões serem revisadas, se houver um real impedimento de amamentar, pode-se introduzir uma fórmula láctea, desde que seja específica para a idade da criança. O aleitamento materno, mesmo que em pequenas quantidades, deve ser mantido, quando possível.
Embora seja necessário o uso dessas fórmulas lacteas em algumas situações, vale ressaltar que estas não oferecem o efeito protetor do leite materno (obtido através das imunoglobulinas). As fórmulas são parecidas com a composição nutricional do leite materno, porém não conseguem reproduzir as distintas etapas da produção do leite materno (colostro, leite anterior e leite posterior).
Quando a criança estiver usando alguma dessas fórmulas lacteas (exemplo NAN), é recomendada a oferta apenas de água nos intervalos, até os 6 meses. Após os 6 meses de vida, deve-se trocar de leite (usar outro leite de transição indicado para crianças maiores de 6 meses, como, por exemplo, NAN 2 PRO e Nestogeno 2) e iniciar a introdução da alimentação complementar (frutas, verduras, cereais, leguminosas, ou seja, a alimentação da família em consistência pastosa).
Vale lembrar que o leite de vaca não é adequado para substitui o leite materno, durante o primeiro ano de vida da criança.