Em um paciente portador da diabetes mellitus, qual o critério para considerarmos que ele tem um pé diabético?

Pé diabético é a infecção, ulceração e/ou destruição de tecidos profundos associados com anormalidades neurológicas e vários graus de doença vascular periférica no membro inferior. Na prática, quando um profissional de saúde examinar os pés de um paciente diabético e notar alteração da sensibilidade da pele, presença de hiperemia, hipertermia, deformidades, edema, calos, feridas (ulcerações) com ou sem secreção ou gangrena, estará diante de um “pé diabético”(1).

A avaliação frequente dos pés de pacientes com diabetes é importante para identificar aqueles com risco de desenvolver ulceração nos pés e amputação. Identificar precocemente e tratar os fatores de risco são fundamentais para reduzir a morbidade por ulceração do pé. Os fatores de risco mais importantes são: história de ulceração anterior do pé, deformidade do pé, neuropatia periférica e doença vascular(2).

A realização de um exame físico sistemático envolvendo a inspeção cuidadosa dos pés e a pesquisa de neuropatia periférica pode reduzir significativamente a morbidade por problemas nos pés(2).