Existe algum medicamento que possa ser utilizado em pacientes prostatectomizados com disfunção erétil?

Acredita-se que em torno de 80% dos casos de disfunção erétil ocorrem em virtude de causas orgânicas e o restante tem origem psicológica. A maior parte dos casos de disfunção erétil são multifatoriais e secundárias a alguma doença, stress, trauma (tais como: lesão medula espinhal, cirurgia pélvica e prostática), ou efeito adverso de medicações que interferem com os fatores neurológicos, endócrinos, vasculares e musculares necessários para ereção normal.
Uma revisão sistemática incluindo um subgrupo de análise de homens com história de prostatectomia radical ou câncer de próstata evidenciou que o uso do sildenafil foi superior quando comparado ao placebo em relação à melhora da disfunção erétil. A melhora da disfunção erétil ocorreu em 48% dos pacientes que utilizaram sildenafil e em 10% dos que fizeram o uso de placebo (RR 3,8 IC95% 1,6 – 9,5). Outro Ensaio Clínico Randomizado, subseqüente, em homens com disfunção erétil após terem realizado radioterapia para câncer de próstata, evidenciou que o grupo tratado com sildenafil obteve melhores resultados quando comparado ao grupo que fez uso de placebo após seis semanas de tratamento.
Dessa forma, conclui-se que o uso de sildenafil está indicado para pacientes com disfunção erétil, desde que os pacientes não apresentem comprometimento nervoso pelo procedimento prévio e nem contra-indicações ao uso da medicação. As contra-indicações incluem: uso por homens para os quais o intercurso sexual é desaconselhável devido a fatores de risco cardiovasculares, pessoas com problemas hepáticos severos, pessoas com problemas renais severos, hipotensão, infarto recente ou desordens hereditárias degenerativas da retina.

Bibliografia Selecionada

  1. Fink HA, Mac Donald R, Rutks IR, Nelson DB, Wilt TJ. Sildenafil for male erectile dysfunction: a systematic review and meta-analysis. Arch Intern Med. 2002 Jun 24;162(12):1349-60.
  2. Incrocci L, Hop WC, Slob AK. Efficacy of sildenafil in an open-label study as a continuation of a double-blind study in the treatment of erectile dysfunction after radiotherapy for prostate cancer. Urology. 2003 Jul;62(1):116-20. Disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S009042950300133X. Acesso em: 25 mar 2015