Existe algum sintoma aparente que podemos diagnosticar em paciente portador de HIV?

Na fase inicial da infecção pelo HIV, 60% das pessoas infectadas desenvolvem alguns sintomas muito semelhantes a um resfriado comum, geralmente 2 a 6 semanas depois do momento do contágio.
Estes sintomas iniciais geralmente são leves, sendo portanto muito difícil em um primeiro momento diagnosticar a infecção pelo HIV.
Após esses sintomas iniciais, o HIV normalmente não causa quaisquer outros sintomas por muitos anos (período conhecido como “infecção assintomática pelo HIV”), contudo, continua a se multiplicar no organismo e a causar danos ao sistema imunológico.
Se a pessoa com o HIV não realizar acompanhamento médico (e não realizar o tratamento no momento oportuno), o vírus vai reduzir as “defesas” do organismo e o sistema imunológico ficará comprometido, parando de funcionar adequadamente. Esse processo poderá levar 10 anos para acontecer, e, somente neste momento, pode-se dizer que a pessoa portadora do vírus HIV passou a desenvolver a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS).
Nesta fase, sérias infecções podem surgir, acompanhadas de uma grande variedade de sintomas, como por exemplo:

  • cansaço persistente
  • suores noturnos
  • perda involuntária de peso
  • diarreia persistente
  • febre persistente (por diversas semanas)
  • falta de ar

Muitas doenças relacionadas com a AIDS podem ocorrer (tuberculose, pneumonias e alguns tipos de câncer), assim como infecções oportunistas (aquelas que somente ocorrem em pessoas com o sistema imunológico muito comprometido). Apesar de sérias, muitas dessas doenças podem melhorar se o tratamento for iniciado, mesmo que tardiamente (1)(Grau D).

Bibliografia Selecionada

  1. HIV and AIDS [Internet]. England: NHS Choices. 2008 [updated Feb 22; cited 2010 Feb 8]. Disponível em:  http://www.nhs.uk/Conditions/HIV/Pages/Symptomspg.aspx Acesso em: 10 fevereiro 2010.
  2. Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde2009 [citado 2009 Nov 10]. Disponível em: http://www.aids.gov.br Acesso em: 10 fevereiro 2010.