Novas Recomendações: Qual é o tratamento alternativo para sífilis primária na impossibilidade do uso de penicilina?

O tratamento para sífilis primária ou sífilis adquirida recente (menos de um ano de evolução), em pacientes não gestantes, pode ser feito com Doxiciclina 100 mg, via oral, de 12/12 horas por 15 dias ou Ceftriaxona 1 g, intramuscular ou intravenoso, 1 vez ao dia, por 8 a 10 dias.

Esses medicamentos apresentam menor eficácia e só devem ser utilizados quando houver histórico de alergia à penicilina ou, mais recentemente, na falta de penicilina, exigindo assim maior vigilância. Devido à possibilidade de falha terapêutica, o acompanhamento com solicitação de VDRL (Venereal Disease Research Laboratory) deve ser feito a cada 60 dias. As parcerias sexuais sempre devem realizar testes imunológicos e receber tratamento, de preferência na mesma oportunidade, mesmo que apresentem testes não reagentes. Para o tratamento de sífilis tardia, o tratamento pode ser feito com Doxiciclina 100 mg, de 12/12 horas, por 30 dias ou Ceftriaxona 1 g, intramuscular ou intravenoso, 1 vez ao dia, por 8 a 10 dias. As gestantes com história comprovada de alergia à penicilina devem ser dessensibilizadas, pois os tratamentos não penicilínicos são inadequados na gestação. Na impossibilidade, deve ser administrada a Ceftriaxona, pois o uso de Doxiciclina é contraindicado na gestação. No entanto, nesses casos o feto será considerado não tratado. As gestantes devem ser acompanhadas com VDRL mensal até o parto.