O que é e como orientar o treinamento vesical?

O treinamento vesical, também conhecido como reeducação vesical, consiste em educação do paciente sobre seus hábitos miccionais associado a regime de micção programada com aumentos graduais do intervalo entre as micções. É um tratamento que ajuda o paciente a “segurar mais urina”, de forma que consiga urinar com menor frequência e com menos episódios de urgência e incontinência. O treinamento vesical é frequentemente realizado em conjunto aos exercícios da musculatura do assoalho pélvico (exercícios de Kegel).

Esse tratamento é recomendado para mulheres com urgência miccional associada ou não à incontinência urinária. Portanto, é indicado para mulheres com diagnóstico clínico de incontinência urinária de urgência ou mista. Embora não haja evidências quanto à eficácia desse tratamento em homens com sintomas semelhantes, é razoável tentar esse tratamento, considerando que é seguro, não tem custo e comprovadamente funciona em mulheres. Os principais objetivos são: • corrigir hábito inadequado de micção frequente, se houver; • aumentar o controle sobre a urgência miccional; • aumentar o intervalo entre as micções; • aumentar a capacidade vesical; • reduzir os episódios de incontinência urinária, se houver; • recuperar a confiança do paciente quanto a sua capacidade de controlar a bexiga. Para realizar o treinamento, deve-se seguir os seguintes passos: 1) Fazer diário miccional por 24 horas a. Pode registrar apenas os horários das micções. b. Não há necessidade de registrar o volume. 2) Após, urinar “pelo relógio”, em intervalos regulares, usando inicialmente o menor intervalo entre as micções, conforme identificado no diário miccional. a. Tipicamente começar com intervalos de 1 hora (enquanto acordada). b. Intervalos menores (30 min ou menos) podem ser necessários em pacientes que costumam urinar em intervalos inferiores à 1 hora. 3) Controlar a urgência (desejo de urinar) entre as micções programadas com técnicas de distração, relaxamento e contrações da musculatura do assoalho pélvico a. Técnica de distração: realizar cálculos matemáticos mentalmente. b. Técnica de relaxamento: realizar respirações profundas. c. Técnica de contrações da musculatura do assoalho pélvico: realizar contrações rápidas dos músculos do assoalho pélvico. 4) Após 2 a 7 dias com menos sintomas de urgência e/ou incontinência, aumentar o intervalo entre as micções. a. Usualmente progredir com 15 a 30 min a mais de intervalo. b. Os intervalos devem ser gradualmente aumentados até que seja atingido intervalo de 2 a 4 horas, com poucos episódios de urgência e/ou incontinência. O treinamento vesical pode demorar até 6 semanas para provocar melhora no padrão miccional. É importante ter confiança no tratamento, a despeito da falta de resposta que pode ocorrer no início. As revisões com o médico assistente são muito úteis para monitorar o progresso, realizar ajustes ao programa e dar reforço positivo ao paciente.