O que fazer quando o paciente de dois anos de idade, em tratamento odontológico, falta às consultas e possui alto risco de cárie precoce na infância??

Neste caso, a orientação e motivação dos pais/responsáveis assume papel importantíssimo, tanto para o retorno às consultas, quanto para o controle dos fatores de risco para a cárie precoce na infância. Os pais/responsáveis devem ser orientados em relação à dieta, especialmente a suspender a mamadeira assim que a criança seja capaz de beber em uma xícara/copo. Devemos também alertar sobre o efeito das mamadas noturnas nos dentes dos bebês e desencorajar o uso de mamadeiras e chupetas açucaradas(1,2).

Além disso, eles devem ser orientados a realizarem a escovação com pasta fluoretada.  Recomenda-se o uso de pequena quantidade de pasta de dentes infantil fluoretada, com concentração de flúor em torno de 1100 PPM3. A quantidade de pasta de dentes em bebês e crianças que não sabem cuspir é equivalente a um grão de arroz (0,1g); e, nos que sabem cuspir é equivalente a um grão de ervilha (0,3g)(4).   Atributos da APS: O acesso aos serviços de saúde, em especial, ao atendimento odontológico, deve ser garantido. É essencial que a paciente faça o acompanhamento odontológico concomitante ao médico, promovendo a saúde bucal de toda família.