O que o Agente Comunitário de Saúde deve saber sobre Febre Amarela?

É uma doença causada pelo “vírus da febre amarela”. Sua transmissão se dá por meio da picada de determinados tipos de mosquito infectados pelo vírus. No Brasil mosquitos infectados só estão presentes em florestas de determinadas regiões do Brasil. No Rio Grande do Sul, mais de 100 municípios das regiões norte e noroeste do estado são considerados “zonas de risco” por apresentarem o vírus circulante na região (detecção em macacos e alguns casos notificado em humanos recentemente).
Desta forma, aqueles indivíduos residentes nestes municípios, com mais de 9 meses de idade, não vacinados nos últimos 10 anos, devem receber vacina para Febre amarela.
Da mesma forma, aqueles que irão viajar para estas zonas de risco, ou outras na mesma situação, no Brasil e no mundo, também devem ser vacinados 10 dias antes da viagem. É importante ressaltar que a transmissão só ocorre naqueles indivíduos que entram mata adentro e são picados pelos insetos infectados.
A febre amarela é uma doença que cursa com febre, cefaléia, dor no corpo, “amarelão”, podendo ser confundida com doenças como dengue, hepatite, entre outras. Recomenda-se que frente a estes sintomas um médico seja procurado.
O foco do Agente Comunitário de Saúde frente à Febre amarela, deve ser o de auxiliar na difusão das informações à população quanto ao modo de transmissão da doença e quem são as pessoas que devem ser vacinadas.

A lista de municípios considerados de zona de risco no estado do Rio Grande do Sul pode ser observada nos seguintes sítios: http://www.saude.rs.gov.br/wsa/portal/index.jsp?menu=servicos&cod=22246 Mais informação no sítio sobre Febre amarela do Ministério da Saúde, é: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/febreamarela/index.php SOF relacionadas:
  1. Pode-se aplicar a vacina contra a febre amarela em mulheres que estejam amamentando?
  2. Qual é a diferença da febre amarela silvestre para a urbana?
  3. Qual é a diferença dos sintomas da dengue e da febre amarela?
  4. Que orientações os Agentes Comunitários de Saúde devem prestar à população para a prevenção de casos de febre amarela?

Bibliografia Selecionada

  1. Vasconcelos PFC, Toscano CM. Febre Amarela. In: Duncan BB, Schmidt MI, Giugliani ERJ, editores. Medicina ambulatorial: condutas de atenção primária baseadas em evidências. 3a ed. Porto Alegre: Artmed; 2004. p. 1511-9.
  2. Febre amarela [Internet]. Porto Alegre: Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Secretaria de Saúde. 2009 [citado 2009 Ago 12]. Disponível em: http://www.saude.rs.gov.br/wsa/portal/index.jsp?menu=servicos&cod=22246 Acesso em: 17 agosto 2009.