O uso do ivermectina é eficaz na prevenção do COVID-19?

No momento não existem evidências que comprovem a eficácia e segurança e que sustentem o uso, em humanos, de ivermectina (em qualquer de suas formulações ou doses, isoladamente ou associada a outras medicações) na profilaxia ou no tratamento – em qualquer fase da doença – da COVID-19, não sendo possível recomendar o uso dessa medicação.(1,2,3)

Apesar de um estudo(4) comprovar que o vírus SARS-CoV-2, causador da COVID-19, tem sua replicação viral inibida pela ivermectina, refere-se, entretanto apenas à fase pré-clínica/ in vitro – isto é, fora dos sistemas vivos – e em dose muito maior que a usualmente utilizada em humanos para outras doenças.(1) Portanto, são necessários estudos (ensaios clínicos adequadamente desenhados) em seres humanos, in vivo, para saber se de fato ele tem eficiência ou não. No entanto, parece ser praticamente impossível a ivermectina atingir no pulmão a concentração que inibiu a referida replicação viral (dose terapêutica) no SARS-CoV-2, podendo atingir níveis tóxicos.(1,3)

Importante reiterar que as formas comprovadamente capazes de reduzir a transmissão da COVID-19 são a manutenção da medida de uso de máscaras, o distanciamento social, isolamento de casos, quarentena dos contatos.(1,3)