Os familiares de paciente com suspeita não confirmada para COVID-19 devem fazer isolamento domiciliar?

Sim, os familiares de paciente com suspeita de COVID-19 devem fazer o isolamento domiciliar, mesmo que o paciente tenha feito o teste PCR e esteja aguardando o resultado. Todas as pessoas com diagnóstico de síndrome gripal (SG) e os seus contatos domiciliares também deverão realizar isolamento domiciliar por 14 dias seguindo as condutas específicas do protocolo do Ministério da Saúde.(1)

Caso o contato inicie com sintomas de SG, deverão ser iniciadas as precauções de isolamento para paciente, notificar o caso e reiniciar o período de 14 dias de isolamento. Contudo, o período de isolamento das demais pessoas do domicílio é mantido. Esta recomendação não se aplica para os demais contatos que se mantenham assintomáticos por 14 dias, mesmo que outra pessoa da casa inicie com sintomas durante o período.(1)

Vale salientar que há condutas específicas quando o contato domiciliar é um profissional de saúde.   A vigilância ativa e continuada dos pacientes que estão recebendo acompanhamento ambulatorial é a principal ferramenta para o manejo. É necessária a comunicação plena com um profissional de saúde da Atenção Primária à Saúde/Estratégias Saúde da Família (APS/ESF) durante o cuidado domiciliar do paciente até a o fim do período de isolamento. A revisão dos sintomas e o seguimento da evolução do quadro devem ser realizados por um profissional da APS, a cada 24h em pessoas com mais de 60 anos e portadores de condições clínicas de risco e, a cada 48h para as demais pessoas, até completar 14 dias do início dos sintomas. Caso seja necessário, realizar atendimento presencial, idealmente no domicílio.(1)