Por que administrar somente duas doses da vacina pneumo 23?

Considerando a insuficiência de dados relacionados à segurança da vacina pneumocócica quando administrada três ou mais vezes, a revacinação após uma segunda dose geralmente não é recomendada(1).

Duração da Imunidade: Após a vacinação pneumocócica, os níveis de anticorpos sorotipo-específicos declinam após 5-10 anos, mas pode ocorrer declínio mais rápido dos níveis de anticorpos em alguns grupos (por exemplo, crianças). Além disso, dados limitados da literatura sugerem que os níveis de anticorpos podem declinar mais rapidamente em idosos com mais de 60 anos, o que pode indicar como necessária a revacinação nesses pacientes para proporcionar proteção continuada, Os resultados de um estudo epidemiológico sugerem que a revacinação pode proporcionar proteção por pelo menos nove anos após a dose inicial. No entanto, foi relatada também redução da eficácia da vacina à medida que aumentava o intervalo desde a vacinação, principalmente entre os indivíduos mais idosos (com idade ≥85 anos)(1).

Níveis de anticorpos protetores específicos de tipos capsulares desenvolvem-se geralmente na terceira semana após a vacinação e os polissacarídeos capsulares bacterianos induzem os anticorpos principalmente por mecanismos independentes das células T; portanto, a resposta do anticorpo à maioria dos tipos capsulares pneumocócicos em geral é fraca ou inconsistente em crianças com idade < de dois anos cujos sistemas imunológicos encontram-se imaturos, por isso a recomendação de começar a imunização com esta vacina a partir de 2 anos de idade(1).

A infecção por pneumococos é uma das principais causas de morte em todo o mundo e uma importante causa de pneumonia, bacteremia, meningite e otite média. Cepas de S. pneumoniae resistentes a medicamentos estão se tornando cada vez mais comuns nos EUA e em outros países, em algumas áreas, cerca de 35% dos isolados de pneumococos foram relatados como resistentes à penicilina, muitos pneumococos resistentes à penicilina também são resistentes a outros antibióticos (por exemplo, eritromicina, trimetoprima-sulfametoxazol e cefalosporinas de amplo espectro). Esses fatos enfatizam a importância da profilaxia com vacinação contra a doença pneumocócica(2). Imunização é o meio de prover proteção específica contra a maioria dos patógenos nocivos comuns. O mecanismo da imunidade depende do local onde está o patógeno e também do mecanismo da sua patogênese. O antígeno estimula a produção de anticorpos e/ou resposta imunológica celular que reagirá especificamente com o antígeno ao qual foi estimulado(1). A vacina Pneumocócica 23-valente protege contra doenças graves causadas pela bactéria pneumococo, como pneumonias, meningites e outras. Pode ser administrada em crianças a partir dos 2 anos de idade e adultos. Ela está disponível gratuitamente nos Centros de Imunobiológicos Especiais (CRIEs) e é indicada para pacientes com condições específicas, como infecção pelo HIV, doença pulmonar ou cardiovascular crônica grave, insuficiência renal crônica, síndrome nefrótica, diabetes mellitus insulinodependente, cirrose hepática e pacientes com imunodeficiências, entre outros. A vacina deve ser indicada por um médico e o paciente deve procurar um CRIE para ser vacinado(3).