Quais abordagens para maior adesão à cessação ao tabagismo?

Existem diferentes tipos de abordagem que permitem a maior adesão ao tratamento. Uma dessas é a denominada intensiva ou específica, que é definida como o contato profissional-usuário superior a 10 minutos de duração para cada encontro e é considerada uma das mais indicadas, sempre que factível, por apresentar as maiores taxas de sucesso para cessação definitiva do tabagismo. Uma meta-análise concluiu que a chance de se alcançar a abstinência do tabaco, em comparação a nenhum contato profissional-usuário, é 1,3 vezes maior para abordagem mínima/ breve (< 3 minutos), 1,6 vezes maior para abordagem de baixa intensidade/básica (3-10 minutos), e 2,3 vezes maior para abordagem de alta intensidade/intensiva (> 10 minutos). A principal diferença para a abordagem básica, como o próprio nome sugere, é a intensidade do acompanhamento, disponibilizando um maior período de tempo para análise e discussão dos avanços alcançados, das dificuldades encontradas e das informações relacionadas. A abordagem intensiva é resumida, tal qual a abordagem básica consiste em perguntar e avaliar, aconselhar, preparar e acompanhar. Embora a utilização das intervenções mais intensivas possam aumentar as taxas de abstinência, estas intervenções frequentemente apresentam alcance limitado por conseguir incluir apenas poucos fumantes, o que pode ser inviável em muitos cenários da Atenção Básica 1,2.

Em relação às estratégias de intervenções para a cessação do tabagismo, o quadro 1, apresenta as possibilidades de intervenções na cessação do tabagismo com os respectivos graus de evidências 3.   Quadro 1 - Intervenções para a cessação do tabagismo e as respectivas evidências.
Intervenções Grau de evidência
Maior número de sessões de aconselhamento com medicamentos é mais eficaz do que intervenções mais intensas e isoladas Grau A
Mais sessões e mais longas são mais eficazes do que intervenções menos intensivas. Grau A
As intervenções comportamentais intensivas estão associadas ao aumento da cessação do tabagismo. Grau B
Combinações de intervenções (aconselhamento proativo por telefone, aconselhamento em grupo e aconselhamento individual) aumentam as taxas de abstinência e devem ser encorajados. Grau A
Aconselhamento prático como o reconhecimento de situações que aumentam o risco de recaída e desenvolver habilidades de enfrentamento. Grau B
Apoio e incentivo informando paciente da idade dos benefícios cessação do tabagismo em 12 meses. Grau A
O aconselhamento individual da cessação do tabagismo face-a-face podem ajudar os pacientes a parar de fumar. Grau A
A entrevista motivacional parece aumentar modestamente a cessação do tabagismo em comparação com os cuidados habituais ou aconselhamento breve. Grau B
A terapia de grupo pode ser mais eficaz do que os programas de autoajuda. Grau B
O aconselhamento telefónico podem ajudar os fumantes interessados ​​em parar de fumar. Grau B