Quais as causas do ronco?

Ronco é um som que ocorre quando se respira através da boca e do nariz enquanto se está dormindo. Ocorre quando há um turbilhonamento do ar que atravessa a orofaringe (região que fica na garganta atrás da base da língua), levando aos tecidos da boca, nariz e garganta a vibrar, provocando um efeito sonoro.
Isto geralmente decorre do bloqueio parcial do fluxo de ar devido ao excesso de tecido (“carne”) no nariz, boca ou garganta, à posição que se dorme ou devido a uma condição de saúde.
O ronco é considerado um evento normal do sono a menos que o ruído seja tão alto a ponto de incomodar não só quem dorme no mesmo quarto, mas as pessoas da casa e até os moradores da vizinhança.
No entanto, em algumas vezes, o problema maior do ronco não é o desconforto que provoca nos outros, mas sim a possibilidade de ocorrerem interrupções na respiração (apnéia) que podem ter como conseqüência quadros mais graves de sobrecarga cardiopulmonar, sonolência durante o dia, baixo rendimento intelectual e no trabalho, cansaço e irritabilidade persistente.
Os principais fatores relacionados à limitação do fluxo de ar nas vias aéreas superiores e ao ronco são:
Sobrepeso/obesidade: o excesso de gordura depositado ao redor do pescoço e garganta proporciona que os tecidos adjacentes se “dobrem”, reduzindo o calibre das vias aéreas e o  fluxo do ar. Este problema é mais importante para os homens, que acumulam mais gordura ao redor do pescoço;
Idade: quanto mais idade, mais “flácida” fica a musculatura, permitindo que os tecidos vibrem mais facilmente;
Álcool e medicações: o uso de álcool ou remédios para dormir relaxam a musculatura corporal, deixando-a mais “flácida” também;
Dormir com a barriga para cima: faz com que a língua “caia” sobre a garganta, reduzindo o fluxo aéreo local;
Resfriados, alergias e tabagismo: são condições que contribuem para bloquear a passagem do ar pelo nariz e aumentar a respiração bucal, contribuindo para o surgimento de ronco;
Outros fatores físicos que provocam obstrução ao fluxo de ar:

  • Amígdalas aumentadas;
  • Úvula aumentada;
  • Nariz quebrado ou deformado (ex: desvio de septo).