Quais as evidências clínicas para o uso de fitoterápicos a base de extrato de Unha de Gato na APS?

Fitoterápicos a base de extrato de Unha de Gato – conhecida botanicamente como Uncaria tomentosa, possui grau de recomendação B III para osteoartrite de joelho (1) e artrite reumatoide ativa (2).
Uncaria tomentosa tem ação anti-inflamatória, seu mecanismo de ação está relacionado a capacidade de inibir o fator de necrose tumoral-alfa (TNFalfa) e reduzir a produção de prostaglandina (PGE2) 2.
De acordo com as pesquisas, o consumo do fitoterápico reduziu o número de articulações dolorosas (1,2) e não apresentou efeitos hepatotóxicos ou outros efeitos colaterais significativos em comparação com placebo (2).
A planta também demonstrou capacidade de diminuir os efeitos adversos dos anti-inflamatórios não esteroidais (AINEs) sobre o estômago e intestino (3). Esse efeito associado ao alívio da dor nas articulações sugere que a administração de Unha de Gato possa reduzir a necessidade do consumo de anti-inflamatórios pelos pacientes artríticos. Dada essa possibilidade, a associação da planta com o uso reduzido de AINEs geraria melhoria significativa na gestão da artrite, e uma alternativa de baixo custo para os Inibidores COX-22.

O Ministério da Saúde recomenda, por meio da Relação Nacional de Medicamentos essenciais (RENAME) 4 o uso da Unha de Gato para o tratamento complementar de artrites e osteoartrites. É necessário que os profissionais estejam atentos a dosagem recomendada de acordo com cada laboratório, para realizar a prescrição de forma correta, já que a dose é variável e delimitada pelo fabricante de acordo com a quantidade de marcador químico presente no extrato. O mesmo deve ser padronizado em 0,9 mg de alcalóides oxindólicos pentaclíclicos5. As apresentações farmacêuticas disponíveis são: cápsulas, comprimidos e gel. O uso em gestantes, lactantes e lactentes é contra indicado devido a ausência de estudos clínicos que comprovem a segurança e eficácia nessa população (5). Plantas medicinais utilizadas tradicionalmente, e que possuam evidências clínicas contra problemas comuns e de grande relevância na Atenção Primária à Saúde (APS) auxiliam na prevenção de agravos, restauração e manutenção da saúde, contribuindo para a integralidade da atenção. SOF relacionadas:
  1. Quais as evidências para a recomendação da Cáscara Sagrada?
  2. Quais as evidências para o uso de Garra do Diabo na Atenção Primária à Saúde?
  3. Quais as evidências científicas para o uso do Guaco na Atenção Primária à Saúde?
  4. O que é fitoterapia e como o ACS pode trabalhar este tema na comunidade?
  5. Quais as evidências científicas para o uso da Espinheira Santa no tratamento de úlcera gástrica?
  6. Quais as evidências clínicas para a recomendação do fitoterápico de Alcachofra (Cynara scolymus L.) na APS?
  7. Como organizar rodas de conversa sobre plantas medicinais?