Quais as orientações ao usuário com diagnóstico de COVID-19 e com alta hospitalar?

Como parte das diretrizes de cuidados clínicos de um paciente com COVID-19, o Guia de Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde descreve algumas observações: “Para os  indivíduos  hospitalizados  com  quadro de Síndrome  Respiratória  Aguda  grave  (SRAg) ao receber alta hospitalar antes do período de 20 dias, este deverá cumprir o restante do período em isolamento OU após 10 dias com dois resultados RT-qPCR negativo, desde que passe 24 horas de resolução de febre sem uso de medicamentos antitérmicos e remissão dos sintomas respiratórios, sendo necessária uma avaliação médica”.(1) Sendo assim, aconselha-se o usuário e a família a observarem o reaparecimento de sinais e sintomas, pois indicam retorno imediato do paciente ao serviço de saúde que realizou o atendimento.

A piora tardia do quadro clínico e sinais de alerta de complicação podem ser: o reaparecimento de taquicardia, recidiva de febre, elevação ou recrudescência de febre ou sinais respiratórios, dor pleurítica, fadiga e piora do estado geral ou dos sintomas(2,3).Observar se o paciente compareceu nas consultas agendadas e se foi completado o período de isolamento a partir dos sinais e sintomas apresentados(2,3). Como são indivíduos que desenvolveram a forma grave da doença, é necessário após a alta hospitalar o acompanhamento dos pacientes por profissional de saúde da APS/ESF ou equipe de SAD (Serviço de Atenção Domiciliar).(3)