Quais as orientações para as mães que estão amamentando e que estão com baixa produção de leite materno?

A grande maioria das mulheres tem condições biológicas para produzir leite suficiente para atender à demanda de seu filho. Até a “descida do leite”, que costuma ocorrer até o terceiro ou quarto dia após o parto, a produção do leite se dá por ação de hormônios e ocorre mesmo que a criança não esteja sugando. A partir de então, a produção do leite depende basicamente do esvaziamento da mama, ou seja, é o número de vezes que a criança mama ao dia e a sua capacidade de esvaziar com eficiência a mama que vão determinar o quanto de leite materno é produzido. O volume de leite produzido na lactação já estabelecida varia de acordo com a demanda da criança. Em média, uma mulher amamentando exclusivamente produz 800ml de leite por dia. No entanto, a capacidade de produção de leite das mulheres costuma ser maior que as necessidades de seus filhos, o que explica a possibilidade de amamentação exclusiva de gêmeos e o leite extra produzido pelas mulheres que doam leite humano aos bancos de leite.
Existem no leite materno substâncias específicas que inibem a produção do leite, e a sua retirada, por meio do esvaziamento da mama, é que garante a reposição total do leite removido. Qualquer fator materno ou da criança que limite o esvaziamento das mamas pode causar diminuição na produção do leite. A má pega é a principal causa de remoção ineficiente do leite. Mamadas infrequentes e/ ou curtas, amamentação com horários preestabelecidos, ausência de mamadas noturnas, ingurgitamento mamário, uso de complementos e uso de chupetas e protetores de mamilo também podem levar a um esvaziamento inadequado das mamas.

 

Para aumentar a produção de leite, as seguintes medidas são úteis:
  • Melhorar o posicionamento e a pega do bebê, quando não adequados;
  • Aumentar a frequência das mamadas (contudo, não existe um intervalo ideal entre as mamadas);
  • Oferecer as duas mamas em cada mamada;
  • Dar tempo para o bebê esvaziar bem as mamas;
  • Trocar de mama várias vezes numa mamada se a criança estiver sonolenta ou se não sugar vigorosamente;
  • Evitar o uso de mamadeiras, chupetas e protetores (intermediários) de mamilos;
  • Consumir dieta balanceada;
  • Ingerir líquidos em quantidade suficiente (lembrar que líquidos em excesso não aumentam a produção de leite, podendo até diminuí-la);
  • Repousar.
Em algumas circunstâncias, quando as medidas acima não são suficientes, o médico poderá optar pela introdução de medicamentos que podem auxiliar na produção do leite materno.