Quais orientações os agentes de saúde podem prestar para pacientes com depressão e familiares?

O principal papel do Agente Comunitário de Saúde (ACS) frente a pacientes com depressão e seus familiares é reforçar a necessidade do tratamento e acompanhamento adequado dos mesmos junto à equipe de saúde. Algumas informações importantes à respeito da depressão (diagnóstico/manejo/prognóstico) e que podem ser reforçadas pelos ACS a pacientes e seus familiares são:

  • depressão deve ser entendida como uma doença que “existe” e que tem tratamento. Um motivo frequente de sub-diagnóstico e de pouca adesão ao tratamento é o preconceito do paciente e família em relação ao diagnóstico;
  • depressão tem tratamento que “funciona”. Importante enfatizar que o objetivo do tratamento é a melhora completa dos sintomas e não apenas de parte deles;
  • não parar o tratamento, em especial o medicamentoso, sem conversar com seu médico;
  • o exercício físico pode ser importante para o tratamento adjuvante da depressão;
  • grupos de saúde mental, sejam eles na Unidade de saúde ou fora dela, podem ser ferramentas terapêuticas importantes tanto para os pacientes como para familiares;
  • o suporte social é muito importante para o tratamento do paciente com depressão, tendo a família papel fundamental. Outras fontes de suporte podem ser a igreja, vizinhos e muitas vezes a própria Unidade de Saúde.
SOF Relacionadas:
  1. Como identificar quem está com depressão e o começo dela?
  2. Como identificar sinais e sintomas de depressão durante a visita do Agente Comunitário de Saúde?
  3. Como o Agente Comunitário de Saúde pode auxiliar no reconhecimento de sinais e sintomas de usuários com depressão para um diagnóstico precoce?
  4. Quais os sintomas de depressão e como trabalhar com pessoas deprimidas?
  5. Quais são os sinais e sintomas de transtornos de humor (ansiedade e depressão) que podem ser usados em uma estratégia de rastreamento populacional?
  6. Como o Agente Comunitário da Saúde pode identificar sinais de depressão pós-parto?

Bibliografia Selecionada

  1. Fleck MPA. Depressão. In: Medicina Ambulatorial: Condutas de Atenção primária Baseadas em Evidência. 3a ed. Porto Alegre: Artmed.; 2004. p. 874-84.