Quais as orientações passar para pacientes com asma?

Atribuições do Agente Comunitário de Saúde – Asma

  • Realizar busca ativa de pessoas com sintomas sugestivos de asma e que nunca foram avaliadas pela equipe.
  • Buscar a integração entre a equipe de saúde e a população adscrita à unidade, mantendo a equipe informada sobre a evolução dos casos.
  • Estar em contato permanente com as famílias, desenvolvendo ações educativas relativas ao controle da asma e da rinite, de acordo com o planejamento da equipe.
  • Identificar sinais de gravidade e proceder conforme rotina estabelecida pela equipe para aqueles pacientes que já realizam acompanhamento.
  • Acompanhar o médico e/ou enfermeiro durante as visitas domiciliares.
  • Verificar se o paciente está usando corretamente a medicação, e se for criança, se tem a supervisão do adulto responsável.
  • Verificar se o paciente/ familiar /cuidador sabe reconhecer os sintomas de asma, os fatores desencadeantes e como evitá-los.
  • Estimular a amamentação, pelo seu efeito protetor no surgimento de sintomas.
  • Alertar os pais sobre os riscos do tabagismo ativo e passivo, especialmente para desencadear crises e dificultar o controle da asma. e
  • Orientar sobre a redução de peso nos asmáticos obesos.

A asma  é uma doença pulmonar crônica que, se adequadamente tratada, pode ser controlada, permitindo uma vida normal. É reversível espontaneamente ou com tratamento, manifestando-se clinicamente por episódios recorrentes de sibilância ( chiado no peito ), dispneia ( falta de ar ), aperto no peito e tosse, particularmente à noite e pela manhã ao despertar. Resulta de uma interação entre genética, exposição ambiental a alérgenos e irritantes, e outros fatores específicos que levam ao desenvolvimento e manutenção dos sintomas .
A educação associada ao tratamento com medicação constitui um dos pilares fundamentais no tratamento da asma. Ajuda o paciente e os familiares na aquisição de motivações, habilidades e confiança no tratamento, o que permite um impacto positivo na mudança ativa de comportamento frente à doença, e ajuda a estabelecer vida normal a essas pessoas. Desta forma é de grande benefício  a existência de  Grupos de Educação em Asma na Unidade .

Atributos da APS: ACESSO: Realizar busca ativa de pessoas com sintomas sugestivos de asma e que nunca foram avaliadas pela equipe. LONGITUDINALIDADE: o acompanhamento do paciente e sua família pela ESF ao longo do tempo melhora a ADESÃO ao tratamento, esclarece dúvidas e permite um controle adequado da doença .  

Bibliografia Selecionada

  1. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Doenças respiratórias crônicas. Brasília: Ministério da Saúde, 2010. 160 p. : il. – (Série A. Normas e Manuais Técnicos) (Cadernos de Atenção Básica, n. 25) disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/cadernos_ab/abcad25.pdf Acesso em: 11 mar 2013.
  2. Núcleo Telessaúde Rio Grande do Sul. Programas educativos e planos de auto-manejo melhoram o controle da asma em adultos? [Internet]. Disponível em: http://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/repostas-42 Acesso em: 11 mar 2013.
  3. IV Diretrizes Brasileiras para o Manejo da Asma – Jornal Brasileiro de Pneumologia. Publicação Oficial da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia . 2006 – Vol. 32 – Supp. 7 Disponível em: http://www.asbai.org.br/revistas/vol295/IV_diretrizes_brasileiras_para_o_manejo_da_asma.pdf Acesso em: 11 mar 2013.
  4. Brasil. Ministério da Saúde. Grupo Hospitalar Conceição.Gerência de Saúde Comunitária. Atenção à saúde das crianças e adolescentes com asma. Organização de Maria Lucia Medeiros Lenz, Rui Flores; ilustração de Maria Lucia Medeiros Lenz. – 2. ed.– Porto Alegre: Hospital Nossa Senhora da Conceição,ago. 2011. disponível em: http://www2.ghc.com.br/GepNet/publicacoes/livrorotinaasma2011.pdf Acesso em: 11 mar 2013.