Quais estratégias podem ser adotadas para promover adesão ao programa saúde do homem?

Buscar um atendimento humanizado de forma que amplie o acesso dos homens as informações sobre medidas preventivas contra os agravos e enfermidades que mais atinjam a população masculina(1,2).

Realizar uma abordagem com enfoque nos princípios de humanização que implicam na promoção, reconhecimento e respeito aos direitos do homem, obedecendo às suas peculiaridades sócio-culturais(3).

Realizar busca ativa na comunidade e orientar quanto a importância e necessidade dos cuidados com a saúde(1).

Estabelecer a participação da equipe no intuito de acolher o homem na Unidade Básica de Saúde (UBS)(1).

Sensibilizar a população masculina  através da educação em saúde para a importância dos cuidados com a saúde(1).

Aumentar a procura pelos usuários pelas unidades de saúde para promoção proteção e proteção da saúde(1).

Promover roda de conversa com homens que encontram-se nas portas das unidades pela manhã(1).

Para estimular os homens a cuidarem da sua própria saúde  é preciso desconstruir essa ideia de que o homem é um super-herói e que não precisa ir preventivamente aos serviços de saúde. Essa ideia errônea leva os homens muitas vezes a descobrir as doenças quando já estão em estágio avançado, o que prejudica a cura(3,4). Abaixo seguem algumas orientações importantes. A Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH) aposta na perspectiva da inclusão do tema da paternidade e cuidado, por meio do pré-natal do parceiro, nos debates e nas ações voltadas para o planejamento reprodutivo como uma estratégia essencial para qualificar a atenção à gestação, ao parto e ao nascimento, estreitando a relação entre trabalhadores de saúde, comunidade e sobretudo, aprimorando os vínculos afetivos familiares dos usuários e das usuárias nos serviços ofertados. Talvez esse momento em que o homem acompanha a esposa seja propício para sensibilização e abordagem do homem para os cuidados com sua própria saúde(5).