Quais orientações o Agente Comunitário de Saúde pode repassar para pacientes na menopausa?

A menopausa é o momento em que a mulher para de produzir óvulos. Contudo, só podemos afirmar que a mulher entrou na menopausa quando completar um ano após sua última menstruação. Ela ocorre como resultado da queda dos níveis do hormônio sexual feminino (o estrogênio), que regula a menstruação. A menstruação não para repentinamente (embora isto possa ocorrer). Em geral ela começa a ficar menos freqüente, até parar – o que ocorre por volta dos 50 anos (mas pode ocorrer antes ou depois). Durante este período já iniciam as mudanças hormonais e biológicas e muitas mulheres começam a sentir sintomas tanto físicos como emocionais. A maior parte das mulheres entra na menopausa sem procurar assistência médica. Entretanto, existem tratamentos disponíveis que podem aliviar os sintomas da menopausa quando eles são muito severos ou quando estão prejudicando a qualidade de vida da mulher.
Em geral, o primeiro sintoma a aparecer é justamente a irregularidade menstrual. A mulher pode começar a perceber que a menstruação passa a ocorrer a cada 2 a 3 semanas, ou pode parar por alguns meses e recomeçar. O fluxo menstrual também pode mudar, e muitas mulheres percebem um pequeno aumento na sua quantidade (1). Outro sintoma muito comum é o fogacho (ou “calorões”). Ocorre em cerca de 75% das mulheres e em 25% delas pode durar por até 5 anos. É descrito como uma onda de calor, principalmente no tronco e no rosto, podendo durar de segundos a minutos, acompanhado de suor, palpitações e/ou dor de cabeça. Com freqüência ocorre à noite (2).
Entre os sintomas psicológicos são citados insônia, depressão, irritabilidade, ansiedade, instabilidade emocional, diminuição da memória e perda da libido – relacionados com a mudança nos níveis hormonais (2).
Outro sintoma frequente envolve a vagina, fazendo com que algumas mulheres sintam um “ressecamento” vaginal, desconforto ou “coceira”. Isso faz com que a relação sexual se torne difícil ou dolorosa. Estes sintomas combinados são chamados de “atrofia vaginal”.
A pele também pode ser acometida devido a perda progressiva do colágeno, fazendo com que a pele fique mais “fina” e “ressecada” (2).
Perda da massa óssea e osteoporose são características naturais do envelhecimento, mas a redução dos níveis hormonais que ocorre na menopausa acelera este processo (1).

Quando os sintomas da menopausa são intensos ou prejudicam o cotidiano da mulher ela deve consultar com seu médico para discutir as opções terapêuticas. Contudo, muitas mulheres têm sintomas leves, que podem ser amenizados com algumas dicas úteis (1): Para melhorar os fogachos (“calorões”):
  • Pratique exercícios regularmente – isto pode melhorar os fogachos e os sintomas psicológicos da menopausa, como depressão e alterações do humor
  • Reduza os fogachos vestindo camadas de roupas que possam ser facilmente removidas e diminua o consumo de bebidas que contenham cafeína e álcool, assim como comidas muito apimentadas
  • mantenha o quarto fresco e arejado à noite
  • tente reduzir seus níveis de estresse
Para melhorar os distúrbios do sono:
  • evite atividades físicas à noite
  • procure dormir sempre no mesmo horário
Para melhorar as alterações do humor:
  • descansar bastante é fundamental!
  • pratique exercício físico regularmente
  • tente exercícios de relaxamento, como por exemplo ioga.
E não esqueça: dieta rica em cálcio SOF Relacionada: Como uma equipe de ESF pode auxiliar pacientes no climatério?

Bibliografia Selecionada

  1. Menopause [Internet]. England: NHS Choices. 2008 [ updated 2008 Jan 16; cited 2009 Dec 21]. Disponível em: http://www.nhs.uk/Conditions/Menopause/Pages/Introduction.aspx Acesso em: 21 dezembro 2009.
  2. Osório-Wender MC, Acetta SG, Campos LS. Climatério. In: Duncan BB, et al. Medicina ambulatorial: condutas de atenção primária baseadas em evidências. 3a ed. Porto Alegre: Artmed; 2004. p. 481-94.