Quais os anestésicos locais indicados para diabéticos?

Em relação à anestesia local em pacientes diabéticos, deve-se estar atento à utilização de vasoconstritores. A epinefrina, vasoconstritor comumente associado a lidocaína, tem ação oposta à insulina, sendo considerada hiperglicemiante. A probabilidade de ocorrerem alterações metabólicas após a administração de epinefrina, nas concentrações utilizadas em Odontologia, é muito baixa.
O risco é maior nos diabéticos não controlados e nos que recebem insulina. Naqueles com doença estável, controlados por dieta ou hipoglicemiantes orais, o uso de vasoconstritor adrenérgico é seguro. Diabéticos dependentes de insulina e estáveis podem-se beneficiar do uso de vasoconstritor.
A presença de Diabetes Mellitus não controlado é uma contra-indicação absoluta ao uso de vasoconstritores adrenérgicos associados a anestésicos. Em caso de contra-indicação formal ao uso de vasoconstritores adrenérgicos, pode-se optar alternativamente por felipressina ou mepivacaína 3% (sem vasoconstritor). Não há contra-indicações absolutas quanto ao uso da felipressina, mas se recomenda cautela em gestantes, pelo risco de aumentar a contratilidade uterina (1, 2, 3)

Bibliografia Selecionada

  1. Alves C, Brandão M, Andion J, Menezes R, Carvalho F. Atendimento odontológico do paciente com diabetes melito: recomendações para a prática clínica. Revista Ciências Médicas e Biológicas. 2006;5(2):97-110. Disponível em: http://www.portalseer.ufba.br/index.php/cmbio/article/viewArticle/4116 Acesso em: 24 ago 2010.
  2. Tily FE, Thomas S. Glycemic effect of administration of epinephrine-containing local anaesthesia in patients undergoing dental extraction, a comparison between healthy and diabetic patients. Int Dent J. 2007 Apr;57(2):77-83. Disponível em:   http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17506466 Acesso em: 24 ago 2010.
  3. Wannmacher L, ferreira MB. Farmacologia clínica para dentistas. Rio de Janeiro: Guanabara; 1999.