Quais plantas medicinais podem ser utilizadas durante a gestação?

Há poucos estudos clínicos sobre segurança do uso de plantas medicinais durante a gestação. A maioria das publicações relacionam as contraindicações de espécies vegetais à presença de princípios-ativos (ácido aristolóquico I e II, alcalóides pirrolizidínicos, tujonas, metafuranos, ascaridol) abortivos, teratogênicos ou com ação emenagoga, justificando o uso com cautela e orientada durante a gravidez1,2.

Apesar da escassez de estudos, há evidências para uso de algumas plantas na gestação, listadas a seguir:
Planta medicinal /Grau de recomendação Forma farmacêutico/modo de uso
Alho (Allium sativum L.)3,4,5,6Recomendada após o terceiro mês de gestação para a prevenção de anemia falciforme (Grau de recomendação E). Cápsulas de óleo de alho 250 mg: Utilizar 1 a 3 cápsulas ao dia ou Cápsulas de extrato seco de alho de 300 mg: Utilizar 1 a 3 cápsulas ao dia;Preparação extemporânea (maceração): 2 ou 3 dentes de alho em uma xícara de água por dia;Tintura 20%: tomar 10 mL da tintura diluídos em 75 mL de água, três vezes ao dia; In natura: 04 g/dia(um dente de alho cru);
Gengibre (Zingiber officinalis)3,4,7Recomendado durante a gestação, para controle de náuseas e vômito (Grau de recomendação B1) . In natura: Usar até 1500mg/dia de gengibre seco por no máximo 4 dias.Preparação extemporânea (infusão): 0,5-1g do rizoma seco em 150mL de água. Tomar 2 a 4 vezes ao dia..Tintura 20%: Tomar 50 gotas da tintura diluída em 75 mL, uma a três vezes ao dia.
Erva de São João (Hypericum perforatum L.)3,8,9Recomendado após o terceiro mês da gestação para depressão leve a moderada (Grau de recomendação A), ansiedade (Grau de recomendação B), transtornos obsessivos compulsivos e transtornos afetivos sazonais (Grau de recomendação C). Cápsulas 380mg (extrato seco padronizado equivalentes à 13,3 mg de taninos). Ingerir 2 (duas) cápsulas, 3 (três) vezes ao dia9 sob prescrição médica.
Linhaça (Linumu sitatissimum L.)3,8Recomendado uso como alimento após o terceiro mês de gestação, para constipação leve (Grau de recomendação B).A forma encapsulados das sementes da linhaça ou o óleo de linhaça são contra-indicado na gestação, pois podem contribuir para a redução do peso ao nascer do bebê (Nível de evidência 3). In natura (uso como alimento): uma a duas colheres (sopa) de semente de linhaça triturada ou in natura junto com alimentos ou saladas.O recomendado é 5 a 50g/dia.
Óleo de Prímula (Oenother abiennis L.)3Recomendado durante a gestação (Nível de evidência 1A) para prevenção da hipertensão arterial na gestação e pré-eclâmpsia (Grau de recomendação B2). Cápsulas de 500mg. Ingerir 1 cápsula 2 vezes ao dia ou conforme orientação de um profissional habilitado.
Castanha da índia (Aesculus hippocastanum L.)3,5Recomendado após o terceiro mês da gestação para prevenção de edema nas pernas atribuído a insuficiência venosa induzida pela gravidez (Nível de evidência 1A). Cápsulas de 240-290mg (extrato seco padronizado equivalentes à 50mg escina (marcador químico do fitoterápico).Tintura: 3 a 12mL de tintura divididas em 2 ou 3 tomadas diárias, diluída em água (3).Preparação extemporânea (decocção): 1g da semente da planta seca em 150mL de água. Tomar 1 xícara 3x ao dia.
Crambery (Vaccinium macrocarpon Aiton)3Recomendado durante a gestação para prevenção de infecções do trato urinário na forma de extrato (Grau de recomendação A) ou como suco (Grau de recomendação B). In natura (como alimento): Usar até 4L/ dia do suco em indivíduos saudáveis.
Dente de leão (Taraxacum officinale L.)3Recomendado como alimento após o terceiro meses da gestação (Nível de evidência 4) para prevenção de infecção do trato urinário (Grau de recomendação B2) e como antiinflamatório (Grau de recomendação E). In natura: as folhas podem ser servidas como salada fervida ou aperitivo.
Calêndula (Calendula officinalis L.) Recomendado para uso externo durante a gravidez (Nível de evidência 5) para infecções vaginais e dermatites. Uso externo: Fazer banho de assento três vezes ao dia com 250mL da tintura diluídos em 1000mL de água2, 2x ao dia para infecções vaginais.
Babosa (Aloe Vera (L.) Burm f.) – Para uso externoRecomendado para uso externo na forma de gel durante a gravidez (Nível de evidência 4) para pele seca ou dermatite de contato irritativa (Nível de evidência B2) como hidratante. Gel de extrato glicólico de babosa 10%. Aplicar nas áreas afetadas 1 a 3x ao dia.
Equinácia (Echinacea purpurea)3Recomendado após o terceiro mês da gestação para prevenção (Grau de recomendação B) e tratamento de infecção do trato respiratório superior (Grau de recomendação A). Cápsula 200mg (extrato seco de Echinacea purpurea equivalentes à 10 mg de fenóis totais expressos em ácido caftárico, ácido chicórico, ácido clorogênico e equinacosídeo). Utilizar 2 a 3 cápsulas ao dia.
Acerola (Malpighia glabra L.)5A acerola pode ser recomendada, durante a gestação, como suplemento de aminoácidos e ácido ascórbico (como fonte de vitamina C). In natura (suco da fruta): preferencialmente centrifugada e consumida imediatamente, 1 copo 3 a 4x ao dia ou fruta fresca: 1 xícara fornece 3780mg de vitamina C.
Framboesa (Rubus idaeusL.)3Recomendado a partir da 32ª semana (Nível de evidência 1A) para auxiliar no trabalho de parto, reduzindo o tempo de trabalho de parto e as complicações (Nível de evidência 1A). Também, ajuda a reduzir a probabilidade de parto artificial (cesárea, fórceps ou nascimento a vácuo) e nascimento de prematuros (Nível de evidência 1B). Preparação extemporânea (infuso): O infuso das folhas de framboesa (máximo de 1,2g/dia).
  A gestação é um período onde o bebê está em formação e o uso de drogas pode causar alterações morfofisiológicas no feto. Diante disso, é necessária a aplicação do princípio da precaução, ou seja, durante os três primeiros meses de gestação, deve ser evitado o uso de qualquer espécie de planta medicinal da mesma forma que os medicamentos sintéticos, cujos estudos para avaliação de efeitos tóxicos e de má formação sobre o feto não estejam concluídos3. A atualização frequente sobre o uso de plantas medicinais na gestação poderá auxiliar os profissionais, doulas e gestantes a qualificar suas informações sobre segurança e toxicidade do uso de plantas medicinais durante a gravidez baseadas em evidências científicas10. Categoria da Evidência: Após o terceiro mês da gestação pode ser recomendado: - alho (Alliumsativum L) para prevenção de anemia (Grau de recomendação E); - erva de são joão (Hypericumperforatum L.), em casos de depressão leve a moderada (Grau de recomendação A), ansiedade (Grau de recomendação B), transtornos obsessivos compulsivos e transtornos afetivos sazonais (Grau de recomendação C); - linhaça (Linumusitatissimum L.), como alimento, para constipação leve (Grau de recomendação B); - óleo de prímula (Oenotherabiennis L.) para prevenção da hipertensão arterial na gestação e pré-eclâmpsia (Grau de recomendação B2); - castanha da índia (Aesculushippocastanum L) para prevenção de edema e retenção de líquido e insuficiência venosa (Nível de evidência 1A); - dente de leão (Taraxacumofficinale L.), como alimento, para prevenção de infecção do trato urinário (Grau de recomendação B2) e como antiinflamatório (Grau de recomendaçãoE); - equinácea (Echinacea angustifólia DC.) na prevenção (Grau de recomendação B) e no tratamento de infecção do trato respiratório superior (Grau de recomendação A); - infuso das folhas de framboesa (Rubusidaeus L.) a partir da 32ª semana (Nível de evidência 1A) para auxiliar no trabalho de parto, reduzindo o tempo de trabalho de parto e as complicações (Nível de evidência 1A) e ajudar a reduzir a probabilidade de parto artificial (cesárea, fórceps ou nascimento a vácuo) e nascimento de prematuros (Nível de evidência 1B). Durante a gestação pode ser recomendado: - gengibre (Zingiberofficinalis) para controle de náuseas e vômito (Grau de recomendação B1); - extrato de crambery (VacciniummacrocarponAiton) para prevenção de infecções do trato urinário (Grau de recomendação A) ou o suco (Grau de recomendação B).