É adequado proceder exodontias no primeiro ano após radioterapia loco-regional?

Não realizar exodontias, em média, por cinco anos após a radioterapia. Intervir apenas nos casos sem alternativa, porém com antibioticoterapia profilática. A intervenção deve ser a menos traumática possível. É preciso ter muita cautela e envolver o médico do paciente, pois o risco de necrose é grande e, mesmo passado muitos anos após tratamento radioterápico, podem surgir complicações.

É importante que o dentista atue em todas as fases da radioterapia contra o câncer, desde a fase preparatória, durante e após o tratamento, compondo a equipe multidisciplinar. O cirurgião-dentista apresenta enorme responsabilidade na eliminação dos fatores locais traumáticos, no reconhecimento de lesões cancerizáveis, na orientação para a redução à exposição de fatores carcinogênicos ambientais e no diagnóstico precoce das neoplasias da boca, no tratamento e na proservação do paciente, garantindo ao mesmo uma melhor qualidade de vida. Atributos da APS: Integralidade: O tratamento odontológico em pacientes oncológicos tem um importante papel na saúde geral dos pacientes e pode impactar positivamente na sua qualidade de vida.