Quais são os anti-hipertensivos seguros na lactação em pacientes hipertensas prévias e/ou que desenvolveram hipertensão crônica após gestação?

A maioria dos anti-hipertensivos tem boa margem de segurança durante o aleitamento materno(3). Não há relato de contraindicação absoluta, mas é importante refletir que novos fármacos são comercializados e podem não trazer ainda dados suficientes de segurança do seu uso durante a amamentação. Assim sempre que possível, deve-se recomendar medicamentos cujo efeito durante este período já está estabelecido.

A clonidina pode reduzir a secreção de prolactina e diminuir a produção de leite no período pós-parto imediato(5).

São anti-hipertensivos considerados seguros na amamentação: hidroclorotiazida, espironolactona, alfametildopa, propranolol, hidralazina, minoxidil, verapamil, nifedipino, nitrendipino, nimodipino, benazapril, captopril, enalapril(1,4).

O princípio fundamental da prescrição de medicamentos para nutrizes baseia-se, sobretudo, no risco versus benefício. As vantagens e a importância do aleitamento materno são bem conhecidas. Assim, a amamentação somente deverá ser interrompida ou desencorajada, se existirem evidências de que a droga usada pela nutriz é nociva para o lactente, ou quando não existirem informações a respeito e a droga não puder ser substituída por outra que seja compatível com a amamentação(5). Importante consultar o manual “Amamentação e uso de medicamentos e outras substâncias” publicado pelo Ministério da Saúde e disponibilizado no link abaixo: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/amamentacao_uso_medicamentos_outras_substancias_2edicao.pdf