Quais são os cuidados pré-operatórios para cirurgia de catarata?

A avaliação pré-operatória para cirurgia de catarata não requer exames laboratoriais específicos para o procedimento. A hipertensão arterial deve ser adequadamente manejada, antes da cirurgia, em função do risco de hemorragia intraocular supracoroidiana no trans operatório. As medicações anti-hipertensivas devem ser mantidas em horário habitual, no dia da cirurgia, inclusive durante o jejum pré-operatório, devendo ser ingeridas com uma pequena quantidade de água. Se ocorrer aumento persistente da TA no pré-operatório imediato, a cirurgia será suspensa.

Pacientes diabéticos devem ser orientados sobre o uso da insulina ou hipoglicemiante oral, no dia da cirurgia, para evitar a hipoglicemia decorrente do jejum. Se a cirurgia é realizada pela manhã, as medicações podem ser administradas após a cirurgia. Pacientes em uso de anticoagulantes como aspirina, warfarin e clopidogrel devem manter o tratamento. Apenas em casos excepcionais, o oftalmologista pode solicitar a suspensão perioperatória da anticoagulação. Pacientes em uso atual ou prévio de alfa-1 antagonista, notadamente de tansulosina, têm o risco aumentado de complicações intraoperatórias em função de flacidez da íris. É controversa a recomendação de suspender a medicação antes da cirurgia, já que a suspensão pode não reverter o risco de flacidez da íris. Contudo, o oftalmologista deve ser informado do uso, para tomar as medidas cirúrgicas adequadas. Profilaxia para endocardite bacteriana não é necessária para a cirurgia de catarata. A remoção de catarata é uma cirurgia eletiva e ambulatorial. É realizada sob anestesia local, geralmente bloqueio regional, associada à sedação para a aplicação da anestesia. O jejum requerido é de 8 horas para alimentos sólidos e de 6 horas para líquidos.