Qual a conduta frente à gestante com ascaridíase?

Embora haja estudos com Mebendazol mostrando efeito teratogênico em animais, sua absorção pelo intestino humano é muito baixa e um estudo com 400 gestantes expostas à droga durante a gestação não mostrou qualquer risco aumentado de malformação congênita (1). Mebendazol é considerado droga de risco C na gestação, ou seja: “riscos não descartados, no entanto benefício potencial pode justificar o risco potencial” (2). Somado ao fato de que o risco de transmissão da infecção para o feto é ínfimo (1,3), sugere-se que o tratamento deva ser postergado até após as 14 semanas de gestação.
Nos casos em que isto não for possível, devido a complicações da infestação por Ascaris, sugere-se que seja feito encaminhamento urgente para especialista focal para avaliação quanto à melhor conduta a ser tomada (1). A dose recomendada de Mebendazol é de 1cp de 500 mg a cada 12 horas por 3 dias consecutivos (1,3).