Qual a conduta quando a vacina tríplice viral (contra sarampo, rubéola e caxumba) é administrada durante a gestação?

Nenhuma conduta adicional deve ser realizada. A gestante deverá manter o acompanhamento de pré-natal de rotina na Atenção Primária.

A vacina tríplice viral não é realizada durante a gestação devido ao risco teórico de vacinas de vírus vivos sobre a embriogênese, embora nenhum estudo tenha demonstrado esse risco. Nenhuma malformação da rubéola congênita foi observada em mulheres vacinadas logo antes da gravidez ou inadvertidamente vacinadas na gestação. Similarmente, não há nenhum efeito adverso atribuído à vacina contra o sarampo após a vacinação na gestação. Recomenda-se evitar a gravidez durante um mês após a vacinação e durante a gestação apenas por precaução, para evitar um possível fator de confusão entre a vacinação e possíveis complicações da gestação por outras causas não associadas à vacina, incluindo aborto espontâneo e malformação congênita no recém-nascido. SOF relacionadas:
  1. Como deve ser o esquema de imunizações em puérperas?
  2. Quais vacinas podem ou devem ser administradas na gestação? Quais são os aprazamentos e as situações especiais?
  3. Qual a indicação vacinal para uma gestante com último reforço de dT há mais de 5 anos e que ainda não chegou na idade gestacional (27 a 36 semanas) para fazer uso da dTpa?