Qual a idade para realização da cirurgia de correção das deformidades maxilares em paciente fissurado? Quais os objetivos do tratamento?

A correção cirúrgica das deformidades maxilares é mais bem realizada quando o esqueleto está maduro e os dentes foram ortodonticamente alinhados. O crescimento craniofacial está geralmente completo entre as idades de 14 e 16 anos, nas mulheres, e entre 16 e 18 anos, nos homens. Todavia, o crescimento esquelético é variável, e uma avaliação do fechamento da placa de crescimento epifiseal deve ser feita por meio de radiografia de punho(1).

Os objetivos específicos do tratamento operatório no paciente fissurado incluem o aspecto estético normalizado do lábio e do nariz; fechamento primário e secundário do palato; linguagem, fala e audição normalizadas; permeabilidade das vias aéreas; oclusão classe I e função mastigatória normal; dentes e periodonto saudáveis; desenvolvimento psicossocial normal(4).

Está demonstrado o risco de intervenções sobre a fissura lábio-palatina e alterações do crescimento da maxila(1,2,3), além dos problemas gerados pela própria mal-formação. As explicações sugeridas são: 1. Qualquer intervenção cirúrgica resulta em cicatrizes, e essas podem retardar ou afetar completamente o desenvolvimento da maxila; 2. A técnica de cirurgia proposta: quanto mais traumática a cirurgia, maior as repercussões no crescimento da maxila; 3. A idade do paciente no momento da indicação cirúrgica corretiva para lábio e palato (quanto mais precoce, maior o comprometimento); 4. Cuidados pré e pós-cirúrgicos, incluindo atividades multidisciplinares; 5. A própria fissura funciona como fator restritivo ao desenvolvimento da maxila; e 6. A gravidade da fissura. (1,3). De vez que as cirurgias primárias do lábio e do palato (fator primário preponderante) parecem exercer um efeito restritivo ao crescimento da maxila (já segmentado pela deformidade), os cuidados na realização da cirurgia inicial são essenciais para o sucesso final do tratamento (1).