Qual o efeito dos antidepressivos no tratamento do tabagismo a longo prazo?

Os antidepressivos bupropiona e nortriptilina auxiliam na suspensão do tabagismo por pelo menos 6 meses. Os inibidores da recaptação seletiva da serotonina não apresentam os mesmos bons resultados. As evidências sugerem que o mecanismo de funcionamento da bupropiona e da nortriptilina seja independente dos seus efeitos antidepressivos e similar à eficácia da utilização de reposição de nicotina. Eventos adversos com as duas medicações são raramente sérios ou levam a descontinuação das mesmas. (1)
O tabagismo é um fator de risco importante e prevalente de diversas patologias assistidas na atenção primária a saúde (APS). O seu manejo é favorecido pelas possibilidades de abordagem que podem ser desenvolvidas pelos médicos e demais profissionais envolvidos na APS, focando-se na avaliação da dependência, da motivação para abandono do hábito e em definir a melhor terapia para cada indivíduo.
A reposição de nicotina é o método farmacológico mais utilizado no tratamento do tabagismo; entretanto, em algumas situações, para diferentes pacientes, se preferem tratamentos que não utilizem nicotina. Dados os resultados acima descritos, é importante dispor de bupropiona e/ou nortriptilina para utilização em APS.

Sumário das evidências Esta revisão Sistemática incluiu 53 estudos, sendo 17 posteriores a 2004. Em 31 estudos usando bupropiona (OR 1.94; IC95% 1.72 – 2.19) e nortriptilina (OR 2.34; IC95% 1.61 – 3.41), os dois medicamentos dobraram as chances de interrupção do uso de tabaco (A). Não existe evidências suficientes que a associação de um destes dois medicamentos com terapia de reposição de nicotina produza um beneficio adicional a longo prazo. Em 3 estudos, o tratamento estendido com bupropiona pra prevenir recaídas após o período de cessação do consumo de tabaco, não apresentou evidencias significativas de beneficio adicional a longo prazo. A bupropiona foi usada na dose de 150 mg uma vez ao dia por 3 dias e aumentada para duas vezes ao dia num período de 7 a 12 semanas. A nortriptilina foi usada na dose de 75mg a 100mg por dia por 12 semanas. Existe efeito equivalente e eficácia similar no uso de bupropiona ou nortriptilina ou terapia de reposição de nicotina. Existe um risco de aproximadamente 1 em 1000 de ocorrer uma convulsão associada ao uso de bupropiona. A hipótese de que seu uso aumente o risco de suicídio não se comprovou. Altas doses de nortriptilina têm potencial para sérios efeitos adversos; entretanto, nenhum foi relatado nos estudos para tratamento do tabagismo com a dose preconizada. Foram encontrados 6 estudos dos inibidores da recaptação da serotonina; 4 utilizando fluoxetina, um com sertralina e 1 com paroxetina. Nenhum deles detectou efeitos significativos neste tipo de tratamento e não surgiram evidências significativas de beneficio com sua utilização quando os dados foram compilados. Um dos estudos testou inibidor da MAO e outro, antidepressivos atípicos (venlafaxina): não demonstraram benefícios a longo prazo.