Qual o exame laboratorial de melhor acurácia para diagnóstico de esclerodermia?

Entre os principais exames laboratoriais utilizados para o diagnóstico de Escleroderma Sistêmico (ES) estão a pesquisa dos seguintes anticorpos: Ac Anticentrômero (ACA), Ac Anti-DNA topoisomerase I (Anti-Scl-70), Ac AntiRNA polimerase I e III e Ac AntiU3-RNP e
Revisão sistemática1 que avaliou a performance de ACA e Anti-Scl-70 para diagnóstico de ES, determinou que a sensibilidade do ACA foi de 37%, chegando a 57% para casos de ES cutânea limitada. Já a sensibilidade do Anti-Scl-70 foi de 34%. Ambos os testes apresentaram especificidade superior a 99%, quando utilizados controles livres de doença. 
O Fator Antinuclear (FAN) é um exame com sensibilidade relativamente alta (70-90%), no entanto menos específico, uma vez que uma série de outras “doenças do tecido conjuntivo” também têm FAN positivo. O padrão nucleolar é o mais associado com ES.
Os outros anticorpos acima citados (Ac AntiRNA polimerase I e III e Ac AntiU3-RNP) são menos sensíveis (menos de 20%), no entanto são também específicos para o diagnóstico de ES.
Importante observar que na suspeita clínica de ES, a determinação do perfil de Anticorpos, incluindo ACA e Anti-Scl-70, podem ser bastante úteis. No entanto, dada a baixa sensibilidade destes anticorpos, suas ausências não devem afastar a possibilidade de ES.