Qual o significado clínico do resultado de sorologia para Toxoplasmose IgG reagente e IgM não reagente obtido de recém nascido (RN) com história de mãe com IgG reagente e IgM não reagente no período pré-natal?

Caso tenha sido confirmado durante o pré-natal que o contato da mãe com Toxoplasma gondii tenha ocorrido previamente ao período gestacional, por meio da presença de anticorpos IgG reagente e IgM não reagente, não há a necessidade de investigar a sorologia do Recém Nascido (RN).
A presença isolada de IgG reagente e IgM não reagente no RN de mãe com IgG reagente e IgM não reagente com acompanhamento pré-natal indicativo de que a infecção/contato com o Toxoplasma gondii tenha ocorrido previamente ao período gestacional, não tem valor diagnóstico porque há transferência transplacentária da IgG materna.
Caso haja suspeita de toxoplasmose congênita, deve-se abrir mão da pesquisa de Anticorpos IgM e IgA no RN, ou mesmo através do PCR (sangue do cordão umbilical ou do RN).

 

Bibliografia Selecionada

  1. Hay WW, Levin MJ, Sonheimer JM, Deterding RR. Current Diagnosis & Treatment: Pediatrics. 19rd ed. Columbus, OH: McGraw Hill; 2008.
  2.  Costa TL, Silva MG, Rodrigues IMX, Barbaresco AA, Avelino MM, Castro AM. Diagnóstico Clínico e Laboratorial da Toxoplasmose. News LAB. 2007;(85):88-104.