Qual o tratamento para HIV na gestação?

Em gestantes virgens de tratamento, o esquema preferencial de primeira linha deve ser feito com: TDF + 3TC + EFV*
* Apresentação de dose fixa combinada (3 em 1), sempre que disponível.
A TARV poderá ser iniciada na gestante antes mesmo de se ter os resultados dos exames de CD4 e carga viral, principalmente nos casos de gestantes que iniciam tardiamente acompanhamento pré-natal, com o objetivo de alcançar a supressão viral o mais rapidamente possível.

A genotipagem pré-tratamento está indicada para todas as gestantes infectadas pelo HIV, de forma a orientar o esquema terapêutico inicial. No entanto, o início do tratamento não deve ser retardado pela não obtenção do resultado desse exame. O AZT permanece como alternativa em casos de intolerância ao TDF. Em caso de intolerância ao EFZ, o esquema alternativo é feito com TDF/3TC/RAL. Após o parto, a TARV deve ser mantida, porém deve ser feita a mudança do esquema para TDF/3TC/DTG. Nas gestantes já em uso de TARV prévia à gestação, com carga viral indetectável, deve-se manter o mesmo esquema ARV. Para aquelas gestantes em uso de TARV com carga viral detectável, deve-se reforçar a realização de exame de genotipagem e fazer o encaminhamento para serviço de referência para uso de esquemas de resgate. TDF: Tenofovir; 3TC: Lamivudina; EFV: Efavirenz; AZT: Zidovudina; RAL: Raltegravir; DTG: Dolutegravir.