Qual o tratamento pós-cirúrgico em caso de fratura óssea do maxilar na região do segundo molar?

A causa mais provável de fraturas é o uso de força excessiva com o fórceps, o que leva a fratura de grandes porções da lâmina cortical.
Os locais onde há maior probabilidade de ocorrer fratura são na lâmina cortical da vestibular na região do canino superior e na região de molares superiores, região da tuberosidade e próximo ao seio maxilar.
O tratamento das fraturas do osso alveolar está relacionado com o tipo e gravidade da fratura. Se o osso foi removido completamente com o dente, não deve ser recolocado.
Deve-se remover as espículas ósseas presentes e reposicionar o tecido mole, de forma que o tecido ósseo não fique exposto. Em casos onde o tecido ósseo permanecer unido ao periósteo, deve-se separá-lo do dente e mantê-lo em posição, pois ocorrerá cicatrização normal na linha da fratura.

Bibliografia Selecionada

  1. Peterson L, et al. Cirurgia oral e maxilofacial contemporânea. 3a Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2000.