Quando realizar a endodontia em dente decíduo escurecido após trauma?

A endodontia é indicada nos casos de necrose pulpar e reabsorção. O controle radiográfico é fundamental quando o dente apresentar fístula e/ou abscesso e lesão apical e/ou reabsorção apical irregular com perda óssea, respectivamente. A endodontia é contraindicada quando o diagnóstico de necrose pulpar é realizado tardiamente, pois pode já ter ocorrido grande reabsorção dental ou óssea(1).

A hiperemia pulpar é o evento inicial do traumatismo em dente decíduo, uma vez que há a congestão dos capilares. A hemorragia pode acontecer devido ao rompimento de pequenos vasos pulpares, levando à alteração da cor do dente pela pentração da hemoglobina nos túbulos dentinários(2,3), e pode aparecer semanas ou meses após a lesão, podendo ser transitória ou permanente.   O indicativo de polpa vital é o retorno da normalidade da cor do dente, quando isso não acontece, há a suspeição de necrose, reabsorção e calcificação(2).   A necrose pulpar é a condição mais difícil de ser diagnosticada, uma vez que a lesão apical pode não ser visualizada no exame radiográfico devido à sobreposição do ápice do dente decíduo com o germe do dente permanente. Em casos de calcificação ou aumento do folículo dentário, é indicado o acompanhamento, principalmente quando não há periodontopatia concomitante(1,2,3).   Não se recomenda a utilização de testes de vitalidade pulpar que usem a dor como resposta, como os testes com frio, pois são subjetivos e causam dor na criança. Além disso, se o trauma for recente, a polpa pode não responder corretamente(2). Atributos da APS: Garantir o acompanhamento odontológico das crianças na APS, visando à prevenção e ao tratamento de possíveis doenças bucais já instaladas. O programa de Saúde da Família é um importante espaço para as ações de educação e prevenção em saúde bucal.

Bibliografia Selecionada

1. Wanderley MT, Weffort ICC, Kimura JS, Carvalho P. Traumatismos nos dentes decíduos: entendendo sua complexidade. Rev Assoc Paul Cir Dent. 2014;68(3):194-200. Disponível em: http://revodonto.bvsalud.org/pdf/apcd/v68n3/a03v68n3.pdf   2. Costa LRRS, Ribeiro RA, Corrêa FN, Corrêa MSNP. Traumatismo na dentinção decídua. In: Corrêa MSNP. Odontopediatria na Primeira Infância. São Paulo: Santos, 2010:689-715. 3. Malmgren B, Andreasen JO, Flores MT, Robertson A, DiAngelis AJ, Andersson L, Cavalleri G, Cohenca N, Day P, Hicks ML, Malmgren O, Moule AJ, Onetto J, Tsukiboshi M. International Association of Dental Traumatology guidelines for the management of traumatic dental injuries: 3. Injuries in the primary dentition. Dent Traumatol. 2012;28(3):174-82. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/j.1600-9657.2012.01146.x