Quando suspeitar de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade em crianças?

A suspeita do diagnóstico de TDAH deve ser levantada na presença de crianças com sintomas  de hiperatividade, falta de atenção e/ou impulsividade que estão presentes desde a infância.
Tais sintomas devem ser inapropriados para a idade e resultar em significante disfunção psicológica, social e/ou educacional. Abaixo são descritos algumas condições necessárias para o diagnóstico:

  • Sintomas aparecem tipicamente em crianças entre 3 e 7 anos de idade, mas pode não ser identificado até 7 anos, especialmente quando a hiperatividade não está presente;
  • Sintomas devem estar presentes por um período de pelo menos 6 meses;
  • Sintomas devem ser observados em pelo menos dois “cenários” diferentes como casa, escola, situações sociais, etc.
  • Outras causas para os sintomas devem ser excluídas. Entre elas: dificuldade de aprendizado (gerais ou específicas), ansiedade, depressão, abuso, trauma ou, raramente, condições médicas como problemas auditivos ou epilepsia.

Para chegar às informações necessárias ao diagnóstico uma série de “perguntas” devem ser respondidas:

  • Pergunte aos pais ou cuidadores sobre sinais de hiperatividade, falta de atenção e impulsividade para avaliar a severidade e o impacto na qualidade de vida#;
  • Pergunte sobre mudanças de comportamento que podem estar relacionadas a eventos de vida ou mudanças de circunstâncias familiares;
  • Pergunte sobre a história de vida da criança – nascimento, desenvolvimento neuropsicomotor e relação com familiares e cuidadores, incluindo separações ou eventos traumáticos. Questione a presença de história familiar de TDAH;
  • Pergunte sobre problemas comportamentais, de saúde mental e de desenvolvimento que podem coexistir com TDAH, mas não são diagnósticos*.

Sugere-se que na suspeita do diagnóstico de TDAH, a criança seja encaminhada para avaliação de especialista focal que tenha experiência com TDAH.
# Perguntas que podem ser feitas para rastreamento de sintomas de TDAH:

Hiperatividade:

  • A criança freqüentemente agita as mãos ou se remexe quando sentada em uma cadeira?
  • A criança freqüentemente abandona sua cadeira na sala de aula ou em outra situação nas quais se espera que permaneça sentada?
  • A criança freqüentemente corre ou escala em demasia, em situações nas quais isto é inapropriado?
  • A criança freqüentemente tem dificuldade para brincar ou se envolver silenciosamente em atividades de lazer?
  • A criança freqüentemente está “a mil” ou muitas vezes age como se estivesse “a todo vapor”?
  • A criança fala em demasia?

Impulsividade:

  • A criança freqüentemente dá respostas precipitadas antes de as perguntas terem sido completadas?
  • A criança freqüentemente tem dificuldade para aguardar sua vez?
  • A criança freqüentemente interrompe ou se mete em assuntos de outros (por ex., intromete-se em conversas ou brincadeiras)?

Falta de atenção:

  • A criança freqüentemente deixa de prestar atenção a detalhes ou comete erros por descuido em atividades escolares, de trabalho ou outras?
  • A criança freqüentemente tem dificuldades para manter a atenção em tarefas ou atividades lúdicas?
  • A criança freqüentemente parece não escutar quando lhe dirigem a palavra?
  • A criança freqüentemente não segue instruções e não termina seus deveres escolares, tarefas domésticas ou outros deveres (não devido a comportamento de oposição ou incapacidade de compreender instruções)?
  • A criança freqüentemente tem dificuldade para organizar tarefas e atividades?
  • A criança freqüentemente evita, antipatiza ou reluta a envolver-se em tarefas que exijam muita concentração (como tarefas escolares ou deveres de casa)?
  • A criança freqüentemente perde coisas necessárias para tarefas ou atividades (ex: brinquedos, tarefas escolares, lápis, livros ou outros materiais)?
  • A criança freqüentemente é distraída por estímulos alheios à tarefa que está realizando?
  • A criança freqüentemente apresenta esquecimento em atividades diárias?

* Problemas ou condições que podem coexistir com TDAH:

  • comportamento agressivo, transtorno de conduta;
  • distúrbios do sono;
  • depressão;
  • problemas de aprendizado;
  • alteração no humor, impopularidade entre os colegas, dificuldades de interação social;
  • predisposição a acidentes.