Qual a conduta para resultado de epitélio escamoso do citopatológico de colo uterino?

Epitélio escamoso ou epitélio pavimentoso é um epitélio caracterizado por sua camada de células mais superficiais e ser constituída por células planas parecidas com escamas.
Podemos observar no seu relato que o que vem acontecendo é uma inadequabilidade da amostra, ou seja, a amostra está insatisfatória para avaliação oncótica, há a necessidade de rever a técnica e recoletar os exames.
A seguir faço a descrição de uma nota explicativa sobre a questão da adequabilidade da amostra que vem, ao longo do tempo, suscitando inúmeros questionamentos e modificações, comprovando ser essa uma matéria conflitante e de difícil conceituação, o que é plenamente aceitável.
A disposição, em um sistema binário (satisfatória x insatisfatória), melhor caracteriza a definição da visão microscópica da colheita. No atual Sistema de Bethesda (2001), a adequabilidade da Amostra também está colocada nesses dois parâmetros. Contudo, nesse sistema, a caracterização da junção escamo-colunar faz parte dessa definição, o que não ocorre aqui.
Deve-se considerar como satisfatória a amostra que apresente células em quantidade representativas, bem distribuídas, fixadas e coradas, de tal modo que sua visualização permita uma conclusão diagnóstica. Observe-se que os aspectos de representatividade não constam desse item, mas deverão constar de caixa própria, para que seja dada a informação (obrigatória) dos epitélios que estão representados na amostra.
A definição de adequabilidade pela representatividade passa a ser da exclusiva competência do responsável pela paciente, que deverá levar em consideração as condições próprias de cada uma (idade, estado menstrual, limitações anatômicas, objetivo do exame etc).
Insatisfatória é a amostra cuja leitura esteja prejudicada pelas razões expostas acima, todas de natureza técnica e não de amostragem celular. Portanto a necessidade de rever a técnica de coleta e realizar nova coleta nas pacientes que apresentam este tipo de resultado.

Sugerimos consultar o artigo: Exame citopatológico do colo do útero. Este artigo contém slides coloridos sobre técnicas p/ colheita. Disponível em: http://www.hmv.org.br/Util/Download.aspxd=nwMaterialDownload&f=280420083842_aula_cp.pdf SOF relacionadas:
  1. A demora de 30 a 40 dias no resultado do exame citopatológico de colo uterino pode determinar um prognóstico de lesões suspeitas de neoplasia intra-epitelial cervical?
  2. Como devo proceder frente a um laudo de exame citopatológico de colo de útero com metaplasia?
  3. Devemos recoletar o exame de Papanicolau se o resultado deu ausência de JEC?
  4. Deve-se repetir o citopatológico quando o resultado contém apenas representação do epitélio escamoso?
  5. O que fazer quando observada uma alteração visível ao exame especular durante a coleta de citopatológico de colo uterino? Aguardar o resultado ou encaminhar à colposcopia?
  6. O que significa citólise no resultado do exame de Papanicolau (CP de colo do útero)?
  7. O que significa metaplasia escamosa imatura no resultado do Papanicolau (CP do colo de útero)?
  8. O que significa paraceratose no resultado de exame citopatológico de colo de útero?
  9. Qual conduta em pacientes com resultado de citopatológico do cólo uterino evidenciando presença de TORULUPSIS na microbiologia?

Bibliografia Selecionada

  1. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Coordenação de Prevenção e Vigilância. Nomenclatura brasileira para laudos cervicais e condutas preconizadas: recomendações para profissionais de saúde. 2a ed. Rio de Janeiro: INCA; 2006. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/Nomenclaturas_2_1705.pdf>
  2. Duncan BB, Schmidt MI, Giugliani ERJ. Medicina ambulatorial: condutas de atenção primária baseadas em evidências. 3a ed. Porto Alegre: Artmed; 2004.